Designer português cria código para inclusão de daltônicos

Com os símbolos criados por ele, pessoas com essa deficiência poderão reconhecer placas urbanas (em que as cores é fator de diferenciação).

Por Por Mariana Quintino de Morais Atualizado em 20 dez 2016, 19h27 - Publicado em 17 out 2011, 17h47

O daltônico confunde as cores. Consequência de origem genética, que atinge cerca de 10% da população masculina, essa confusão é comum principalmente na diferenciação entre verde e vermelho ou azul e amarelo. Há alguns, inclusive, que enxergam em branco e preto. Para eles, portanto, para identificar faróis e outras sinalizações baseadas no uso da cor é sempre difícil.

Miguel Neiva, um designer português, interessado em entender o modo que os daltônicos se integram na sociedade, criou o código ColorADD , base de sua pesquisa de mestrado em 2008. O código leva em conta o conceito de adição de cores que aprendemos na escola – mistura de dois tons que leva a um terceiro. “Com apenas três símbolos o daltônico consegue identificar todas as cores. O preto e o branco surgem para orientar as tonalidades claras e escuras”, explica.

Neste sistema, cada cor primária é representada por um símbolo: tracinho é o amarelo, triângulo voltado para a esquerda é o vermelho e triângulo voltado para a direita é o azul. Para utilizar o ColorADD no cotidiano, basta que um produto ou serviço cuja cor seria fator determinante de orientação (ou escolha, no caso de roupas) tenha impresso sobre ele os símbolos correspondentes às cores. Se o produto for, por exemplo, verde, ele terá os símbolos que representam o azul e o amarelo.

O sistema já está sendo implementado em diversas áreas em Portugal como na fabricação de material escolar, farmacêutico, hospitalar, identificação de transportes, tintas, etiquetas de vestuário, sapatos e cerâmicas. O projeto acaba de ser apresentado ao Consulado Geral de Portugal, no Brasil, pela primeira vez. Miguel Neiva acredita que o projeto inclusivo é muito importante para o País principalmente com dois grandes eventos à vista, a Copa do Mundo e os Jogos Olímpicos. “A cor é e será sem dúvida o grande suporte comunicacional de todos que visitarem este País”, completa.

Continua após a publicidade
Publicidade