Prédio acomoda micro-apartamentos ao redor de átrio verde em Seul

O projeto, que vai de encontro às convenções arquitetônicas da Coreia, é aberto ao norte e fornece luz natural aos blocos compartilhados

Por Yara Guerra Atualizado em 17 fev 2020, 15h52 - Publicado em 4 set 2019, 17h56
Lee Jieung/Divulgação

O escritório de arquitetura coreano Bo-daa é a mente por trás da Treehouse (em português, “casa na árvore”), um complexo de convivência em Seul que abriga micro-apartamentos ao redor de um átrio repleto de árvores.

O projeto, candidato ao 2019 Dezeen Awards, inclui 76 pequenos estúdios e lofts, todos com acesso às áreas comuns e ao jardim interno para o qual estão voltados.

Lee Jieung/Divulgação

Com a estrutura de um bloco de concreto triangular, o prédio foi projetado em uma das vizinhanças mais caras e valorizadas da capital sul-coreana para os desenvolvedores do Kolon Global Common Life.

Seus micro-apartamentos têm layouts diferentes em cada andar e três distintos tamanhos: 16,5, 23 e 33 m².

Os pisos tornam-se gradualmente mais estreitos à medida que o edifício fica mais alto, a fim de cumprir as regras de zoneamento da área. Lee Jieung/Divulgação

Alguns detalhes, como o armazenamento modular embutido e a pintura magnética na parede, foram projetados para tornar a personalização dos espaços rápida e fácil. Por outro lado, os números das portas são discretamente ocultos para acentuar a impressão de espaço comum.

Continua após a publicidade

“A comunidade não é forçada, mas persuadida: cada unidade é projetada para uma única pessoa com banheiro privado e cozinha compacta, e os moradores compartilham apenas comodidades de maior escala, nas quais a comunidade contribui para uma melhor experiência“, diz o estúdio.

Lee Jieung/Divulgação

Para criar um espaço amplo e compartilhado, o estúdio Bo-Daa dividiu o prisma triangular do bloco em dois, cortando seu centro com um átrio envidraçado repleto de árvores na parte inferior.

“O átrio verde está alinhado com um espaço de trabalho, despensa oculta e comodidades compartilhadas, como lavanderia, cozinha e um jardim para pets, proporcionando um terreno flexível para reuniões improvisadas ou eventos comunitários”, diz o estúdio.

Lee Jieung/Divulgação

“Indo contra a convenção coreana, mais unidades são abertas para o norte, o que fornece uma luz mais fria e consistente às grandes janelas inclinadas, além de uma visão melhor”, explica o estúdio.

Já no lado sul, um corte no perfil inclinado do edifício cria um terraço no quinto andar, proporcionando um lugar para se sentar ao sol.

Continua após a publicidade

Publicidade