OSB em alta

Nem só em tapumes de obras vive a chapa de madeira mais barata da construção. Tingida ou na versão crua, ela cumpre funções estruturais e de revestimento em casas e apês. Confira seis projetos que souberam aproveitar o melhor do material

Por Texto Lara Muniz | Produção Elena Caldini Atualizado em 9 set 2021, 14h05 - Publicado em 18 mar 2016, 09h00

Da sigla em inglês vem a explicação: Oriented Strand Board pode ser traduzido como placas de partículas orientadas. Na prática, o OSB é um amontoado de lâminas dispostas em três camadas de direções alternadas – e é justamente essa mudança na disposição das lascas que confere estabilidade e resistência à chapa. Criado nos Estados Unidos nos anos 70, o material é relativamente novo no Brasil. Por aqui, a primeira (e ainda única) fábrica começou a produzi-lo apenas no começo dos anos 2000, e a Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) ainda não formulou regras exclusivas para ele – os ensaios existentes fazem referência a sistemas de construção seca, dos quais o OSB é um integrante fundamental ao agir como fechamento de paredes. 

Nos últimos tempos, as folhas têm sido mantidas à mostra em projetos de arquitetura que tiram partido da facilidade no manejo e do preço camarada. Se aproveitar a aparência rústica do recurso está em seus planos, a linha Home Plus Estrutural é adequada a intervenções que exijam resistência, ao passo em que a Induplac, mais clara, tem perfil decorativo, ideal para uso como revestimento. Ambas pertencem à LP Brasil. 

Quanto custa? de R$ 30 a R$ 150

São muitas as variáveis: do tamanho e espessura das chapas até a resistência da linha do produto em questão. Ainda assim, o OSB costuma ser pelo menos 60% mais barato que um MDF com acabamento de laminado decorativo com características equivalentes. 

Continua após a publicidade

Publicidade