Nanotecnologia promete revolucionar as construções

O material é mais resistente e permite ser moldado de diferentes maneiras. Confira!

Por Regina Galvão Atualizado em 9 set 2021, 11h26 - Publicado em 20 mar 2018, 10h00

Aplicada ao concreto, a nanotecnologia promete revolucionar a construção. Que o diga Jean Nouvel, arquiteto francês que a tem empregado em seus projetos, como a torre de 31 andares La Marseillaise, no sul da França. “O nanoconcreto, composto de agregados de cimento e fibras de carbono, é três vezes mais resistente do que o comum”, afirma Eduardo Oliveira, da Thinksurface, empresa que trouxe a solução ao país. O material promete diminuir o peso nas estruturas, obter formas curvas, estender a durabilidade da pigmentação (chega a 50 anos) e customizar a impressão. O arquiteto paulistano João Armentano optou pela matéria-prima no painel de folhagens no hotel Wish, em Natal. “Não tivemos perdas ao transportá-lo de São Paulo e a impressão resiste à maresia”, afirma Maira Pansonato, de sua equipe.

Leia também: Cortiça em projetos de arquitetura e no décor

 

O painel com lajotas de 20 x 20 cm no hotel Wish Natal, do grupo GJ P, utilizou a impressão digital com nanopigmentação. A obra de João Armentano encomendou a superfície cimentícia, batizada de nanolito, à Thinksurface. Wish Natal/Divulgação
Continua após a publicidade

Publicidade