Ladrilhos que são uma arte

Esta fábrica de revestimento cimentício ainda produz como antigamente – uma peça de cada vez

Por Reportagem visual de Carolina Diniz e texto de Tatiane Domiciano Atualizado em 9 set 2021, 14h09 - Publicado em 23 dez 2015, 08h00

Quando aportou no Brasil vindo da pequena Lucca, na Itália, Federico Dalle Piagge trouxe na mala o que precisava para exercer aqui o ofício de ladrilheiro: muitos moldes de ferro com os mais elaborados desenhos. Tempos depois, em 1922, ele abriu sua primeira empresa e começou a produção com a exata técnica da terra natal. Foi nesse galpão que o bisneto Marcello Ruocco teve contato com o revestimento. “Cresci acompanhando a confecção dos modelos. Por isso, mesmo após encerrado o negócio, procuravam por mim em busca dos ladrilhos hidráulicos”, explica. Numa conversa com o primo Divo Picazio Júnior, a reabertura da fábrica foi firmada. O nome, Dalle Piagge, veio como homenagem ao bisavô.

Veja mais em Dalle Piagge

Publicidade