Tratamento em piso de madeira

Sinteco, Bona, ebanização, clareamento, tingimento. Entenda como é feito cada um dos tratamentos para pisos de madeira e escolha aquele que vai deixar o seu revestimento mais bonito.

O piso de madeira leva uma vantagem sobre quase todas as opções: pode ser tratado e rejuvenescido muitas vezes. Tacos, laminados, decks e tábuas corridas recebem bem clareamento, tingimento e ebanização, impermeabilização ou restauração com Bona ou Sinteco. Os processos, em geral, exigem trabalho profissional - não, não adianta tentar fazer sozinho. Os tratamentos estão descritos abaixo, bem como as substâncias envolvidas e o custo.

Preços da Aplicadora Master, pesquisados em janeiro de 2008.

Divulgação

Ebanização – A ebanização é um processo de escurecimento do piso de mad...
Ebanização – A ebanização é um processo de escurecimento do piso de madeira com pigmento preto.

Divulgação

Clareamento – O clareamento dos pisos de madeira é feito com soluções à ...
Clareamento – O clareamento dos pisos de madeira é feito com soluções à base de água e outros produtos, como água oxigenada.

Divulgação

Bona – A Bona é um tipo de resina à base de água. Ela é usada para dar a...
Bona – A Bona é um tipo de resina à base de água. Ela é usada para dar acabamento aos pisos de madeira e também para impermeabilizar.

Divulgação

Sinteco – Sinteco é uma resina feita de formol e uréia. É usado no acabam...
Sinteco – Sinteco é uma resina feita de formol e uréia. É usado no acabamento de pisos de madeira para dar brilho, mas não funciona como impermeabilizante. Possui cheiro forte e exige cuidado na aplicação.

Tingimento e ebanização

O tingimento é um processo que altera a cor do piso de madeira por meio da aplicação de corantes à base de água. Para iniciar o processo é necessário nivelar o piso, desgastando-o com a lixadeira. Depois as frestas de madeira devem ser calafetadas com pó de madeira e cola. Após um dia de espera, um novo lixamento é realizado. O corante é misturado com verniz de poliuretano, também à base de água, e aplicado na madeira. A aplicação é feita de forma homogênea com uma espécie de feltro importado. Após quatro horas, passa-se a lixa d´água. Em seguida, são aplicadas mais três demãos, com intervalo de oito horas entre elas. A finalização é feita com três demãos de uma resina do tipo Bona ou Sinteko. Quando o tingimento é feito com um pigmento preto, levando o piso a um escurecimento radical, o processo ganha o nome de ebanização.

Todo este processo deve ser realizado por um profissional com o equipamento apropriado e leva 4 ou 6 dias em uma área de 50 m².

Preço: R$ 76 o m² mais R$ 18 por metro de rodapé.

 

Clareamento

O clareamento da madeira envolve o uso de uma solução a base de água e de outros produtos químicos como água oxigenada, amoníaco ou soda cáustica. Essa solução vai clareando o piso até que seja atingido o tom desejado.

Para iniciar o clareamento, é necessária uma raspagem que retira resinas e vernizes e calafetação antiga. O produto aplicado penetra na madeira e clareia a cor das fibras, deixando-as arrepiadas. Por isso, é necessário aplicar um reagente neutralizador e lixar o piso mais uma vez. Para finalizar, coloca-se uma demão de seladora e três de resina do tipo Bona ou Sinteco. Entre a clareação e o acabamento, deve-se esperar um prazo de aproximadamente quatro dias, para que haja boa aderência e não se formem bolhas. O clareamento é um processo seguro e não compromete a resistência mecânica da madeira quando realizado de maneira correta. Normalmente o processo todo envolve duas semanas. Antes da aplicação, é recomendado que os profissionais testem o processo em um pedaço de madeira.

Preço: R$ 82 o m² na Aplicadora Master.

 

Impermeabilização

Uma resina de verniz impede a entrada da água entre as fibras da madeira - esse processo é recomendado para locais que estarãoi expostos à água - como deques de piscina, por exemplo, ou piso de madeira colocado em banheiro (embora pareça estranho, pisos de madeira no banheiro são cada vez mais comuns). As resinas podem ser à base de água, como o Bona, ou à base de solvente, como os poliuretanos de alto brilho. Para fazer a impermeabilização, primeiro o piso é raspado e tem seus vãos calafetados. Em seguida a resina é aplicada em três demãos, com intervalo de 8 horas entre cada uma (com lixamento após cada aplicação).

Custa R$ 52 o m².

 

Sinteco e Bona Os dois produtos, de fabricantes diferentes, normalmente são utilizados após lixamento e calafetação do piso. Eles trazem de volta a cor da madeira ou o brilho, dependendo do tipo de acabamento que você procura. Sinteco é uma resina à base de uréia e formol. Não funciona como impermeabilizante, apenas dá brilho à madeira. Ele pode ser encontrado nos acabamentos fosco semi-fosco e brilhante. Sua aplicação acontece em duas demãos, com intervalo de um dia entre elas. Como a resina tem cheiro forte do amoníaco e do formol, você não pode ficar em casa durante a aplicação - o ideal é que a casa fique vazia por 72 horas. Preço: R$ 32 o m². Já o Bona é uma resina à base de água. Ela possui os mesmos acabamentos que o Sinteco (fosco, semi-fosco e brilhante), além de variadas opções para ambientes com diferentes graus de tráfego (Bona Traffic, para ambientes de alta circulação, Mega para tráfego normal e Spectra para áreas com circulação moderada). A aplicação se dá em três demãos, com intervalo de 8 horas entre cada e lixamento após cada demão. O produto não deixa cheiro e, assim que o piso estiver seco, o ambiente pode ser freqüentado novamente. Sua desvantagem em relação ao Sinteco é o preço - o Bona sai por R$ 52 o m².

 

Curta o CASA.COM.BR no Facebook