Empresa italiana cria em massa válvula usada no tratamento de Coronavírus

Em meio à pandemia de Coronavírus e escassez de leitos e equipamentos, a Isinova produziu válvulas para ventiladores por meio de impressão 3D

Por Ana Carolina Harada 23 mar 2020, 19h04
Reprodução/Casa.com.br

Nesse momento de crise global, vários países se depararam com a escassez de recursos extremamente necessários para o cuidado das vítimas do Covid-19. Com o número de infectados crescendo a cada segundo, a Itália – o país em situação mais crítica – se vê sem leitos o suficiente para atender quem precisa de tratamento intensivo ou de ventiladores.

Reprodução/Casa.com.br

Pensando nas prioridades iminentes, a empresa italiana Isinova, localizada em Chiari, uma pequena cidade da Lombardia, decidiu focar sua produção para válvulas utilizadas em máquinas de oxigênio.

As peças são produzidas em massa por meio de impressão 3D. Elas são componentes essenciais dos muito falados ventiladores, equipamentos que as pessoas com Covid-19 em estado grave precisam usar para respirar.

Reprodução/Casa.com.br
Continua após a publicidade

O fornecedor original das peças não conseguiu dar conta da demanda, o que levou a comunidade a buscar alternativas de produção. A Isinnova e seu CEO, Cristian Fracassi aceitaram a tarefa, porém eles não possuíam o molde que a impressora precisa para gerar o produto.

A solução foi fazer engenharia reversa com uma peça existente e, em apenas algumas horas, o primeiro protótipo estava pronto. “A válvula tem orifícios e tubos muito finos, menores que 0,8 m – não é fácil imprimir as peças”, disse Fracassi à BBC .

Reprodução/Casa.com.br

Essa primeira leva de válvulas foi destinada para ajudar 10 pacientes internados. Outra empresa que trabalha com impressão 3D, a Lonati, já produziu mais 100 peças com base no design de Fracassi.

A técnica de impressão 3D foi usada na China durante o ápice da epidemia para confeccionar óculos de proteção e máscaras dos profissionais de saúde.

Continua após a publicidade

Publicidade