Muita cor no quarto do bebê!

Tons clarinhos, papéis de parede delicados e outros mimos tradicionais na decoração para bebês passam longe daqui. Para montar o cantinho de seu primeiro filho, o pai arquiteto ousou nas cores e apostou em um visual mais contemporâneo.

Por Texto: Daniella Grinbergas | Fotos: Arquivo pessoal Atualizado em 9 set 2021, 23h24 - Publicado em 7 fev 2017, 18h00

“Sou fascinado por tonalidades fortes, mas não foi fácil convencer a família de que elas seriam uma boa escolha”, diz o paulista Leonardo Pécora, pai do dono do quartinho. Ele conta que, ao saber da gravidez da esposa, começou a fazer o projeto em 3D – foram 42 propostas frustradas até obter a aprovação dela. Depois de tantos testes, encontrar um revestimento com a ordem exata de cores seria impossível. A solução veio com tintas, aplicadas por ele mesmo, o que barateou o orçamento.

 Foi um delicioso passatempo, uma terapia. Assim, pude participar e amenizar a ansiedade pela chegada do bebê.”

Continua após a publicidade

Os segredos da pintura colorida

* Acima do rodapé, foram demarcadas sete faixas, cada uma com 32,5 cm de altura – para estabelecer essa medida, basta calcular a altura total a ser pintada (neste caso, 2,27 m) e dividir pela quantidade de listras que deseja criar.

* Leonardo as preencheu alternadamente. A inferior, branca, corresponde ao fundo original. Primeiro foram tingidas as áreas em azul-marinho, verde e vermelho. Cada uma delas recebeu três demãos de tinta, exceto a vermelha, que exigiu o dobro de cobertura (assim como a laranja, que veio depois).

* Somente após a secagem completa da primeira etapa da pintura, o arquiteto passou às faixas restantes. Para não haver sobreposição de cores, ele cobriu as extremidades das listras prontas com fita crepe – mas isso só pode ser feito se a superfície estiver totalmente seca. “No fim, pequenos borrões foram corrigidos com pincel fino”, ensina.


Continua após a publicidade

Continua após a publicidade

Continua após a publicidade

Publicidade