Pensando em mudar a pintura da casa? Veja 9 dicas antes de escolher a cor

Profissionais do design recomendam a dobrar atenção para detalhes como a iluminação do espaço, os móveis, e o tom que o morador deseja dar ao ambiente

Por Redação Atualizado em 8 jun 2022, 19h54 - Publicado em 9 jun 2022, 19h00
Sala de estar com um grande arco-íris pintado na parede
Banyan Bridges / reprodução/Pinterest

A pintura é a maior característica definidora de uma sala. Pode parecer ousado, considerando quantos outros componentes são adicionados a um espaço, mas a cor nas paredes influencia dramaticamente a atmosfera mais do que um sofá ou uma luminária.

Independentemente de como se traduz, é o pano de fundo para o resto e conduz a sensação das diferentes partes da casa.

Quarto com parede pintada em tons de rosa e violeta
Suvinil/Casa.com.br

Embora, ela seja central na aparência do imóvel, a pintura é temporária e corrigível. Mas para ajudá-lo a tomar a melhor decisão de primeira, vários designers deram sua opinião sobre o que deve ser considerado antes da primeira pincelada.

1. Analise a iluminação

Sala de estar com um grande sofá azul acinzentado. A parede atrás deste móvel é revestida de madeira e guarda fita de led que auxiliam na iluminação do ambiente.
Projeto assinado pelo escritório Dantas & Passos Arquitetura Herman Charles Christ/Buzina de Imagem/Casa.com.br

A luz faz mais do que iluminar uma sala – também afeta a cor das paredes, especialmente dependendo da hora do dia. Por causa disso, o designer de interiores Kevin Francis O’Gara, da Kevin Francis Design, diz que a iluminação é um fator fundamental.

“Isso afetará se as cores precisarão de tons mais quentes ou mais frios para equilibrar a temperatura da cor da luz externa”.

2. Não confie em pequenos rastros de tinta

gif de uma parede azul sendo pintada de rosa
Reprodução/Giphy

Mark Cutler e Nichole Schulze, cofundadores da empresa de design de interiores Cutlerschulze, observam que não é possível obter uma leitura precisa de um pequeno quadrado de tinta. “Nunca selecione apenas um pedaço pintado com tinta, dê um passo a mais e pinte na parede da sala em que você vai usá-lo”.

3. Lembre-se que os móveis fazem a diferença

Sala espaçosa, com poltronas, um grande aparador, quadros pendurados em uma parede em leve tom de cinza.
Projeto assinado por Anna Loyola Landhi/Reprodução

Pintar requer remover ou cobrir seus móveis. Uma vez que esses itens estão fora de vista, eles normalmente estão fora da mente, mas também influenciam amplamente a aparência. Cutler e Schulze afirmam que é melhor ficar atento aos itens que estarão presentes.

“Por exemplo, uma parede branca em uma sala com móveis rosa parecerá corada, o que pode ser bom”, observam. “Se você queria um branco forte, escolha um com um toque de azul e ele resistirá ao tom rosa dos móveis.”

4. Escolha favoritos pessoais em vez de escolhas populares

Gif de duas crianças brincando com tintas
Reprodução/Giphy

Tanto as cores modernas quanto as atemporais são usadas por um motivo: as pessoas realmente gostam delas. Mas só porque há um consenso dizendo que uma cor é chique, isso não significa que você deva negligenciar seu gosto pessoal.

“Sempre encorajo os clientes a considerar sua cor favorita, a cor que mais usam e a cor que mais as intriga”, diz Leah Alexander, da Beauty Is Abundant.

Continua após a publicidade

5. Não tenha medo ousado ou do básico

Parede azul com tapeçaria pendurada, em frente a uma namoradeira, uma cadeira e uma mesa lateral.
Projeto assinado pelo arquiteto Maicon Antoniolli Luis Gomes/Minha Casa

Há outra dica que Alexander usa que está ligada ao conceito de escolher as cores que você gosta “Gosto de fazer a pergunta: ‘Não seria legal se?’ Às vezes é: não seria legal se toda essa sala fosse pintada dessa cor laranja queimada como a pintura que você encontrou e se apaixonou naquele mercado de pulgas?” Ela explica. “Outras vezes, você não adoraria pintar todas essas paredes de branco?”

Isso pode despertar inspiração e acabar com as preocupações de escolher algo muito selvagem ou muito chato. Alexander também observa que há uma coisa ainda mais importante a ser lembrada. “É apenas pintura”, diz ela. “Não é permanente. Divirta-se.”

6. Retire suas cores favoritas como destaques

Sala de estar com grande porta amarela, poltronas verdes, quadro colorido com figuras geométricas, sofá azul e uma cadeira de descanso ao lado.
Projeto é do arquiteto Décio Navarro Divulgação/Adriano Escanhuela

Por outro lado, as cores amadas podem ser incorporadas em todo o resto de uma sala, enquanto as paredes permanecem neutras. Tracy Morris, especialista em cores de Benjamin Moore e fundadora da Tracy Morris Design, diz que isso pode ajudar a tornar seus tons favoritos se destacarem.

“Tenho um cliente que adora azul”, explica Morris. “Ao invés de pintar o quarto de azul, onde a cor pode se perder na totalidade do espaço, pintamos de um bege médio. Por quê? O bege realça os tons de azul e permite que seu olho veja a cor azul!”

7. Não se esqueça dos objetos e móveis permanentes

Morris também aponta que os recursos imóveis e existentes devem fazer parte da equação de seleção de tintas. “O que é permanente no espaço?” ela pergunta. “Os pisos? Os armários da cozinha? As bancadas? Um tapete antigo da tia Tilly? Você quer ter certeza de considerar os itens que não vão a lugar nenhum antes de selecionar sua cor.”

Não levar isso em consideração pode levar tornar o ambiente desagradável de olhar.

8. Pense no humor

Vigas e pilares metálicos ficam aparentes, fechados na varanda por meio de seis portas de correr de vidro e alumínio (com pintura eletrostática), seguidas de painéis com chapas de aço perfuradas (tingidas de esmalte sintético também preto e fosco) – para maior segurança. Execução da SJL esquadrias.
Execução da SJL esquadrias Andre Nazareth/Divulgação

Antes mesmo de pular para amostras de tinta e ideias de cores, a primeira pergunta que Tina Ramchandani, da Tina Ramchandani Creative, faz aos clientes é que a atmosfera e o sentimento geral seus clientes estão procurando evocar.

“Ao escolher uma cor de tinta, é importante considerar o clima que você deseja criar em um espaço”, explica Ramchandani. “Espaços escuros e sombrios exigem tons profundos, enquanto espaços alegres funcionam melhor com cores brilhantes.”

9. Explore diferentes acabamentos de pintura

Parede em processo de pintura
Reprodução/Casa.com.br

Ramchandani diz que a textura pode ser um fator decisivo na escolha da tinta. “A condição das paredes (e do teto!) é muito importante na hora de escolher um brilho”, diz ela. “Um acabamento mais brilhante em paredes ásperas e não lixadas ficará horrível. Você poderá ver todas as imperfeições.”

*Via The Spruce

Continua após a publicidade

Publicidade