Malhar em casa

Há alguns anos, academias bem estruturadas eram privilégio de condomínios de altíssimo padrão. Hoje, são itens presentes em grande parte dos lançamentos e vão além de esteiras em uma salinha

Por Redação Atualizado em 20 dez 2016, 21h42 - Publicado em 19 abr 2007, 13h11

Embora dificilmente elas sejam o fator decisivo nas vendas, as incorporadoras prestam cada vez mais atenção nas salas de ginástica. “Planejamos o espaço em parceria com a administradora do condomínio e profissionais de educação física com base no perfil do empreendimento”, explica Marcella Carvalhal, gerente de marketing da Klabin Segall. Assim, um condomínio para solteiros terá mais máquinas de musculação, bicicletas e esteiras, enquanto um destinado a famílias dará mais espaços a atividades infantis, como judô e balé, por exemplo. Mas somente isso não basta. O planejamento e a qualidade dos equipamentos são fundamentais para garantir bem-estar e a redução de riscos de acidentes. E as boas construtoras sabem disso. “Ventilação adequada, piso antiderrapante, bebedouros e guarda-volumes devem constar na lista de prioridades básicas”, diz Camilla Hirsch, diretora da empresa de consultoria de atividades físicas Personal Life. “Placas lembrando a necessidade de alongamentos antes das atividades e equipamentos em bom número e que trabalhem diferentes grupos musculares são outros cuidados importantes”, alerta Camilla, com uma larga carteira de construtoras que requisitaram seus serviços na instalação desse tipo de academia. Veja nas ilustrações abaixo dois exemplos de condomínios, em fase de construção, que vão investir pesado nos espaços para fitness.

Helbor Infinity
Personal trainer e aulas de tênis em regime pay-pe... Glam Moema
Espaço fitness na cobertura do prédio, com vista para ... Uma torre com 170 unidades. Apartamentos de um e dois dormitórios
Endere�...

Publicidade