Casarão mineiro dos anos 20 preserva sua história

Acervo de memórias: o comerciante Roney Antonio de Almeida, comprou este sobrado em Itabirito e conseguiu restaurá-lo mantendo sua história.

Por Por Cristina Bava e Danilo Costa Fotos: Eduardo Pozella Atualizado em 19 jan 2017, 13h34 - Publicado em 18 set 2009, 13h15

A 50 km de Belo Horizonte, Itabirito reserva as vantagens de ser uma cidade tranquila e segura. Fundada no início do século 20, ela mescla o estilo dos casarões de Ouro Preto, de onde foi distrito até 1922, com a arquitetura modernista da capital. “Infelizmente nos restou um patrimônio pequeno, pois poucas pessoas se preocupam em preservar casas antigas”, diz a arquiteta Rousemara Lopes, da Secretaria de Urbanismo da Prefeitura Municipal de Itabirito. Uma das exceções é o comerciante Roney Antonio de Almeida, que comprou este sobrado dos anos 20 e conseguiu restaurá-lo mantendo sua história. Em 1997, noivo de Adriana, Roney comprou este casarão encantado pela arquitetura. Na primeira reforma, ele recuperou o telhado e a rede elétrica. Em 2007, com a família maior, a decorada Beth Marquez se encarregou de repensar os ambientes. Além de criar o espaço gourmet, ela mudou o visual dos banheiros, melhorou a ligação entre os cômodos e restaurou a fachada.

Publicidade