Branco e linhas retas são as marcas desta casa

Linhas retas e o branco predominante denotam o apelo minimalista. Abençoada pelo sol baiano, ela recebe luz natural de todos os cantos e privilegia o conforto.

Por Por Simone Serpa Fotos: Marcos Lima Atualizado em 29 ago 2018, 11h48 - Publicado em 28 fev 2011, 09h32

O terreno vizinho a uma reserva florestal era exatamente o que buscava uma empresária baiana. Com a perda do marido, a vontade de mudar de ares a levou a querer deixar o apartamento em Salvador e morar com a filha num condomínio 30 km ao norte da capital, mais perto da natureza e do restante da família – o outro filho e os netos já viviam nas redondezas. Ela encontrou um lote perfeito, mas a casa existente nele não combinava com seu desejo de uma morada contemporânea, com ambientes amplos e conectados ao verde. Coube aos arquitetos Carlos Eduardo Bento e Mila Azevedo a mudança. “Propusemos um desenho minimalista, com muitas possibilidades de integração”, conta Mila, ao explicar a reforma radical, que durou cinco meses, custou R$ 200 mil e pouco aproveitou da planta original: apenas as fundações foram integralmente mantidas, porém reforçadas e ampliadas para poder suportar vigas, pilares e uma laje pré-moldada que possibilitaram criar mais cômodos. Dos 150 m² anteriores, a construção passou a contar com 230 m². E as alterações funcionais se refletiram no visual da fachada, transformada numa caixa branca e reta, onde o telhado convencional de antigamente deu lugar a uma cobertura plana (laje impermeabilizada com manta asfáltica, dotada de uma camada de 20 cm de argila expandida para conforto termoacústico). A exemplo da proprietária, a casa também se reinventou.

Publicidade