Casa Created with Sketch.

Atmosfera européia

Conhecida por seu estilo contemporâneo, a arquiteta mineira Ângela Roldão surpreende ao criar uma decoração clássica com toques orientais no morro do Chapéu.

Acima, arca chinesa (Far East Emporium), tapeçaria gobelin (Nuhaus), díptic...

 (/)

Incrustada nas montanhas que cercam Belo Horizonte, esta casa pode ser traduzida como um desafio prazeroso para a arquiteta Ângela Roldão. Como acontece todas as vezes em que é solicitada para um trabalho, ela mergulhou em pesquisas na busca de referências, mas, neste caso, um pouco mais do que o habitual. Famosa por seus projetos contemporâneos, Ângela não exitou quando surgiu o convite de uma antiga cliente para que ela reformasse o refúgio de campo da família. Diferentemente das linhas retas e das cores sóbrias, os anseios dos moradores vislumbravam o conforto dos fins de semana em meio a uma atmosfera campestre europeia, com delicados toques orientais. Em cada detalhe, percebe-se que os pedidos foram prontamente atendidos. “Aprecio muito viajar e, apesar de gostar de conhecer lugares novos, vou à Europa pelo menos uma vez por ano. Em cada país que visito, fico de olhos bem abertos. É assim que me inspiro”, explica a arquiteta.

Acima, mesa chinesa da Far East Emporium, bandeja de prata e objetos de muran...

 (/)

Acima, cabeceira da Micheliny Estofados e nas paredes tecido Tricia Guild, ch...

 (/)

O azul-hortênsia é a base neutra da decoração, que abriga outras muitas cores, tão alegres quanto o casal de moradores. Para criar um clima palaciano, rodapés altos finalizados com um friso dourado, desenhado pela equipe de Ângela, e a lareira de mármore carrara combinado com o nero marquina. A leveza do campo aparece nas estampas florais, que recobrem os estofados e as paredes do quarto, e nos elementos orientais, presentes nos móveis chineses e no painel tibetano em que figura um tigre. Entre os objetos e as obras de arte, há muitas peças que já faziam parte do acervo da família, outras foram escolhidas a dedo pela arquiteta em companhia da proprietária. Ângela destaca as tapeçarias gobelin nas paredes e os tapetes aubusson, além da coleção de gravuras do Rio de Janeiro antigo e dos vasos de porcelana do século 19 sobre a lareira. “Com todas as alterações feitas, não só a arquitetura mudou; mudaram também os hábitos familiares. O cuidado da arquiteta na escolha dos materiais, cores e peças foi primordial para deixar os ambientes mais acolhedores, além de se tornarem mais iluminados e confortáveis. A satisfação de participar ativamente dessas escolhas foi imensa”, diz a proprietária, que faz questão de reunir a família em sua nova casa de campo sempre que possível. “Ultimamente, me causa prazer variar em cada projeto. Apesar do meu gosto para o moderno, fico contente em fazer algo novo e que se pareça com as pessoas que lá vão morar. Acho que tem dado certo. Os proprietários ficam felizes e eu me divirto muito”, revela Ângela.

Acima, espelho francês da Espaço Casa e vasos de porcelana da Chafariz Anti...

 (/)

Acima, a exuberante porta de entrada (Marcenaria Santo Agostinho) foi desenha...

 (/)

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s