15 projetos de Zaha Hadid que a arquiteta não chegou a ver prontos

A arquiteta iraquiana, radicada em Londres, faleceu nesta manhã de quinta-feira (31) em Miami após sofrer um ataque cardíaco e deixou 15 projetos na planta

Por Mari Bruno Atualizado em 15 dez 2016, 11h16 - Publicado em 31 mar 2016, 18h15

A arquiteta mais famosa do mundo, ganhadora do Pritzker em 2004 e da medalha de ouro do Royal Institute of British Architects, faleceu nesta manhã de quinta-feira (31) em Miami após sofrer um ataque cardíaco. Extensamente premiada, a profissional é conhecida por suas linhas curvilíneas de cair o queixo. Ela deixa diversos projetos ao redor do mundo só na planta. Confira todos eles abaixo e torça — como nós — para que todos eles sejam construídos como foram desenhados.

1. Casa Atlântica, primeiro projeto de Zaha no Brasil

01-os-projetos-que-zaha-hadid-deixa-incompletos

As obras do edifício residencial de luxo Casa Atlântica, devem começar em março deste ano. O prédio será construído no Rio de Janeiro, em um terreno de 5 mil m², que abrigava o último casarão da Avenida Atlântica a ser demolido. A arquiteta iraquiana desenhou uma torre de 11 andares, com paredes de vidro e uma estrutura branca que lembra uma espinha de peixe. Essa estrutura divide os pavimentos e demarca as amplas varandas do edifício, que conta com uma piscina na cobertura.

 

2. 520 West 28th, o primeiro da arquiteta em Nova York

02-os-projetos-que-zaha-hadid-deixa-incompletos

O edifício, com 11 andares, foi projetado em frente ao High Line, a famosa via elevada transformada em parque, e é o primeiro projeto da arquiteta em Nova York. Com estrutura de vidro e metal, cada um dos 37 apartamentos terá uma identidade própria com diferentes perspectivas do bairro. Os futuros moradores também vão contar com itens de extremo conforto, como terraços generosos, piscina coberta, spa, brinquedoteca, além dos serviços oferecidos pelo bairro de atmosfera urbana.  A cobertura do prédio custa 50 milhões de dólares.

 

3. Estádio para as Olimpíadas de Tóquio

03-os-projetos-que-zaha-hadid-deixa-incompletos

Projetado para as Olimpíadas de 2020 em Tóquio, o projeto original de Zaha Hadid, que ganhou o concurso para a construção do estádio, foi recusado pelo primeiro ministro do Japão, Shinzo Abe, por causa dos altos custos. O projeto também foi criticado por vários arquitetos japoneses, entre eles Toyo Ito, Sou Fujimoto e, principalmente, Fumihiko Maki, um dos ganhadores do Pritzker (maior prêmio do seguimento). Foi cancelado. Quem assina o novo estádio é Kengo Kuma.

 

4. Afragola Station – Nápoles, Itália

04-os-projetos-que-zaha-hadid-deixa-incompletos

Retomada em 2014, a construção da Afragola Station, em Nápoles, projetada pela arquiteta, foi revelada em 2003 e pausada em 2012 por questões financeiras. A estação terá 350 metros de comprimento e 25 de altura, com quatro andares, e cobrirá uma área de 20 mil m2.

 

5. Grace on Coronation – Brisbane, Austrália

05-os-projetos-que-zaha-hadid-deixa-incompletos

Com obras começadas no final do ano passado, o Grace on Coronation, contará com três torres residenciais em Brisbane, na Austrália. À margem do rio, o projeto ocupará o espaço de um antigo escritório da ABC (Australian Broadcasting Corporation), e incluirá 486 apartamentos, oito villas, e luxuosidades como parques paisagísticos.

 

6. Arranha-céu em Melbourne, Austrália

06-os-projetos-que-zaha-hadid-deixa-incompletos

54 andares foram projetados por Zaha para um arranha-céu em Melbourne, na Austrália. Abrigando lojas, escritórios e apartamentos, a fachada foi pensada para assemelhar-se a vasos empilhados. Em parceria com o estúdio Plus Architecture, o design ainda inclui três terraços elevados e uma praça pública.

 

7. Danjiang Bridge, em Taiwan

07-os-projetos-que-zaha-hadid-deixa-incompletos

Vencedor da competição Danjiang Bridge International Competition, o design para a construção da Danjiang Bridge, sobre o rio Tamsui, prevê um mastro principal para dar suporte à estrada de 920 metros, que inclui corrimão e deque para pedestres. Em parceria com os especialistas Leonhardt, Andrä und Partner, acredita-se que o projeto será a ponte assimétrica estaiada com uma torre mais longa do mundo.

 

8. Residencial na Gold Coast – Queensland, Austrália

Continua após a publicidade

08-os-projetos-que-zaha-hadid-deixa-incompletos

Parte do redesenvolvimento da Mariner’s Cove, próximo ao porto na Gold Coast, em Queensland, Austrália, dois arranha-céus foram desenhados por Zaha. Com linhas que se sobrepõem na fachada, que parecem afunilar próximo ao chão, 44 andares darão forma a 370 apartamentos e a um boutique hotel com 69 suítes.

 

9. Esfera City Center – Monterrey, México

09-os-projetos-que-zaha-hadid-deixa-incompletos

Primeiro projeto da arquiteta no México, o Esfera City Center será um conjunto residencial com uma série de prédios de nove andares de linhas curvilíneas e que, por vezes, se interconectam. No centro, um parque público de 30 mil m2 será construído juntamente com os 981 apartamentos do complexo, que variarão entre 45 e 165 m2 cada.

 

10. The Beijing New Airport Terminal Building, em Pequim

10-os-projetos-que-zaha-hadid-deixa-incompletos

Do lado oposto da cidade ao qual se encontra o Capital Airport, em Pequim, construído em 2008 pelo escritório Foster + Partners, o The Beijing New Airport Terminal Building, em Pequim, busca resolver os problemas de capacidade excedida do aeroporto original. Assinado pela Aéroports de Paris (ADPI), que venceu a licitação do projeto, e por Zaha Hadid, o design busca ser o maior terminal de aeroporto de passageiros do mundo.

 

11. Sede da companhia ambiental Bee’ah, nos Emirados Árabes Unidos

11-os-projetos-que-zaha-hadid-deixa-incompletos

Imitando a forma de uma série de dunas que se interceptam, este é o projeto da arquiteta para a sede da companhia ambiental Bee’ah, que se especializa em gestão de resíduos. Em Sharjah, nos Emirados Árabes Unidos, o prédio terá 7 mil m2 e será totalmente operado por fontes de energia renováveis.

 

12. Jumeirah Nanjing Hotel, na China

12-os-projetos-que-zaha-hadid-deixa-incompletos

Convidados pela rede de hotéis Jumeirah Group, Zara e Norman Foster assinam as duas torres dos três novos projetos do grupo na China, em Nanjing, Wuhan e Haikou. Com 250 quartos, o design ainda inclui uma terceira estrutura, menor, centro de conferência, suíte fitness, piscina interna e salão de baile e deve ficar pronto ainda neste ano.

 

13. Al Wakrah Stadium, para a Copa do Mundo de 2022, no Qatar

13-os-projetos-que-zaha-hadid-deixa-incompletos

Em parceria com a corporação de tecnologia AECOM, Zaha desenhou um dos cinco estádios que sediarão a Copa do Mundo de 2022, no Qatar. Na cidade de Wakrah, o Al Wakrah Stadium integrará um projeto de aproximadamente 585 mil m2 e terá capacidade para até 40 mil pessoas. Uma estrutura modular permitirá que essa capacidade diminua pela metade quando preciso.

 

14. Sleuk Rith Institute, no Camboja

14-os-projetos-que-zaha-hadid-deixa-incompletos

Dedicado à pesquisa sobre o genocídio, o Sleuk Rith Institute terá uma nova sede assinada por Zaha Hadid em Phnom Penh, no Camboja. Este é o primeiro projeto de Zaha no país e o primeiro feito com madeira pelo escritório.

 

15. One Thousand Museum, em Miami

15-os-projetos-que-zaha-hadid-deixa-incompletos

Com finalização marcada para 2018, o condomínio residencial de luxo One Thousand Museum, em Miami, terá 62 andares e 83 apartamentos – os preços começam em 6 milhões de dólares por uma unidade de 4600 m2. No pacote ainda estão inclusos vista para a Biscayne Bay, centro aquático, heliporto privativo e odores customizados.

Continua após a publicidade

Publicidade