Noite Sem Teto pelo direito à moradia

A ONG Um Teto Para Meu País promove nesta sexta-feira (14), em São Paulo, a Noite Sem Teto, uma manifestação pacífica para discutir e conscientizar sobre a necessidade de garantir a todos o direito à habitação digna.

Por Por Aline Moraes Atualizado em 20 dez 2016, 22h28 - Publicado em 14 out 2011, 12h02
A primeira edição da Noite Sem Teto, em 2010, reuniu cerca de 300 pessoas n...

Na noite desta sexta-feira (14), um grupo de voluntários trocará a balada pelo relento e levará seus sacos de dormir para o monumento do Obelisco, próximo ao Parque do Ibirapuera, em São Paulo. Lá, eles participarão da Noite Sem Teto, uma manifestação realizada pela ONG latino-americana Um Teto Para Meu País (UTPMP) para discutir o que diz a Declaração de Direitos Humanos e o que, de fato, é garantido à população. Moradia é um dos direitos assegurados pelo documento para uma vida digna. Está lá, no artigo 25. Porém, quase 25% dos brasileiros vivem em situação de extrema pobreza, segundo dados da Comissão Econômica para a América Latina e Caribe (Cepal).

Esta é a segunda edição do evento no Brasil, que estima receber 650 inscrições e acontecerá simultaneamente em 15 países onde a ONG atua. O público esperado é de jovens universitários, mas qualquer pessoa que se interesse pela causa pode participar. Não é necessário “virar” a noite. As atividades começam às 19 horas e incluem palestras com especialistas e coordenadores de movimentos sociais, um fórum de debates e a exibição de curta-metragens. “A ideia é de que a manifestação dure a noite toda. Mas trata-se mais de um ato simbólico e de uma atividade formativa”, explica Daniella Dolme, diretora de comunicação da UTPMP no Brasil.

Além da conscientização sobre a necessidade de erradicar as comunidades precárias no Brasil e no resto do continente, a UTPMP promove mutirões para construir casas de emergência em comunidades carentes. Voluntários de 18 a 30 anos recebem instruções para montar as casas pré-fabricadas, feitas de madeira. O último trabalho, realizado no primeiro final de semana de outubro, levantou 60 casas em quatro comunidades de Mogi das Cruzes, São Paulo, Santo André e Carapicuíba. Por enquanto, as ações atendem apenas a Grande São Paulo, mas o braço brasileiro da ONG, que existe desde 2006, espera estendê-las a, pelo menos, outros dois estados no próximo ano.

O próximo mutirão, em novembro, reunirá voluntários de toda a América Latina para construir 200 casas. Será a maior ação da UTPMP realizada no Brasil até agora e deixará próximo de mil o número de construções feitas pela ONG, que hoje contabiliza 730. Enquanto a Construção Latino Americana não acontece, os voluntários podem aquecer a discussão sobre o direito à moradia digna na Noite Sem Teto. O Obelisco fica na Avenida Pedro Álvares Cabral, altura do número 700. As inscrições, tanto para a manifestação quanto para os mutirões, podem ser feitas pelo site da organização.

Continua após a publicidade

Publicidade