Medite durante as suas atividades do dia a dia

A arte de esvaziar a mente é originalmente feita em silêncio. Entretanto, é possível incorporar as regras a todo o seu cotidiano

Por Bons Fluidos Atualizado em 20 dez 2016, 21h48 - Publicado em 23 abr 2012, 15h45
Medite durante as suas atividades do dia a dia_01

Cozinhar

 

É uma prática que pode ser feita quando estamos a sós na cozinha, preparando os alimentos. O segredo é prestar atenção plena em tudo o que fazemos, voltando para a atividade cada vez que nos perdemos nos pensamentos. Cortar legumes, misturar alimentos, provar, temperar, tudo pode ser feito com tranqüilidade. Sonia Hirsch escreveu um livro, Meditando na Cozinha (ed. Correcotia), só sobre essa arte.

Tarefas domésticas

 

Certos afazeres, como lavar louça e varrer o chão também convidam ao exercício da plena atenção. O monge budista americano Jack Kornfield, depois de meditar durante anos em centros budistas asiáticos, se viu de novo diante das tarefas cotidianas ao voltar para os Estados Unidos. Não teve dúvida: ao lavar o chão, além de se focar nos movimentos, imaginava que o seu coração, e de todos os seres, estavam sendo purificados. Escreveu o livro Depois do Êxtase, Lave a Roupa Suja (ed. Cultrix), com propostas de visualização para fazer durante as tarefas do dia a dia.

Comer

Continua após a publicidade

 

Buda elaborou regras para que a meditação acontecesse também na hora da comida. Nos mosteiros zens e no Centro de Meditação Shambhala (budismo tibetano), essas regras são postas em prática durante os retiros. Todos comem em conjunto, como numa dança, e cada detalhe tem um sentido. No dia a dia, é possível aplicar os princípios do orioki (comer meditando): silêncio, tranqüilidade, gestos calmos e atenção aos diversos sabores.

Caminhar, correr, nadar, pular corda

 

Essas atividades pedem e estimulam a capacidade de concentrar. O monge vietnamita Thich Nhat Hahn ficou célebre com seu livro Meditar Caminhando (ed. Vozes), em que ele narra como perceber os passos e o corpo. Também indica algumas visualizações simples, como imaginar que a cada passo se abrem flores de lótus a nossos pés. Os princípios do monge vietnamita podem ser aplicados a vários esportes e atividades físicas.

Fotografar, pintar, fazer cerâmica, bordar

 

Alguns fazeres artísticos são pura atenção no aqui e no agora. A arte de fotografar meditando se chama miksang (“olho vivo”, em tibetano) e consiste em clicar o que captura a nossa atenção. Fazer haicais (poesia japonesa que em pouquíssimas palavras captura a essência de um momento) pode ser outra forma de meditar na ação.

 

Continua após a publicidade

Publicidade