Domingo é dia de brunch

Na reabertura da casa, a moradora convocou os amigos para se deleitar com esta invenção americana

Por Da redação Atualizado em 20 dez 2016, 19h37 - Publicado em 18 nov 2006, 13h25

Durante uma temporada de estudos na França, no início da década de 1990, a moradora conheceu o brunch. Não demorou para que essa invenção nascida nos Estados Unidos também conquistasse o domingo do brasileiro. Em geral, servido entre 11 e 15 horas, o cardápio tradicional inclui delícias do café da manhã, como sucos de frutas, pães e bolos, com o reforço de pratos salgados, a exemplo de peixe, quiche e salada. É o evento perfeito para qume gosta de um clima informal.

Cardápio

Aqui, a entrada tinha melão, figos e presunto espanhol San Daniel. Tudo preparado uma hora antes. Para beber: sucos e prosecco. Lembre-se: brunch pede um cardápio leve para comer devagar, sem pesar. Depois de 40 minutos, é hora de servir os minissanduíches e, na seqüência, a salada com lagostim. Por fim, chega a sobremesa, no caso, uma torta de morangos e um bolo de licor de laranja e café, preparados no dia anterior.

trilha sonora

Canções suaves e suingadas são as sugestões do DJ Ota para compor a seleção de músicas de um brunch dominical.

– Lets Get Lost, com Chet Baker

Continua após a publicidade

– I Wish I Knew (How it Would Feel to Be Free), com Nina Simone

– Vagabond, com Henri Salvador

– Entre dos Aguas, com Paco de Lucia

– Carta ao Tom, com Vinicius de Moraes

– Corcovado, com Stan Getz, João Gilberto e Astrud Gilberto

– Pueblo Novo, com Buena Vista Social Club

– Attenti al Lupo, com Lucio Dalla

– Baby, com Mutantes

Continua após a publicidade

Publicidade