Casa Created with Sketch.

A força da ancestralidade

Como dissolver antigas mágoas, desavenças e nós energéticos envolvendo a relação com nossos antepassados

maos-idosos-7743

 (/)

Você já pensou em colocar as fotos de seus antepassados junto com as imagens dos santos e divindades de sua devoção no altarzinho de sua casa? Ou, então, dedicar a eles orações, missas ou práticas espirituais? Caso tenha antigas mágoas provocadas por algum deles, já experimentouperdoá-los num ritual simbólico? Pois todas essas práticas de reverência e perdão aos antepassados fazem parte de muitas culturas tradicionais, como a chinesa ou japonesa, ou dos costumes dos povos indígenas de muitos países. Se honrar e prestar homenagem aos seus ancestrais nunca passou pela sua cabeça, já é hora de se perguntar se a força deles influi em sua vida.

Hoje em dia, a reverência à ancestralidade não acontece mais apenas como herança de antigas tradições. A sua força também é reconhecida em terapias criadas recentemente, como a das Constelações Familiares, idealizada pelo ex-padre alemão Bert Hellinger, e baseada nas teorias do físico americano Rupert Sheldrake sobre física quântica. De acordo com Sheldrake, vivemos mergulhados num vibrante oceano de energia que se comunica entre si. Dessa maneira, podemos acessar diversos campos vibratórios (que ele chama de campos morfogenéticos ou campos de memória coletiva) que interagem conosco. Isso significa, segundo essa interpretação, que os campos de informação de energia dos antepassados continuam ainda presentes, vivos e atuantes em nossa vida. “O passado influencia nossos padrões de pensamento, decisões, emoções e atitudes”, diz Irene Cardotti Boccalandro, especialista na terapia de Constelações Familiares. Em outras palavras, recebemos a carga energética do jeito de pensar, sentir e agir dos nossos antepassados. E esse sistema de energia herdado pode estar em equilíbrio ou em desequilíbrio, em ordem ou desordem. Muitas das cerimônias espirituais dedicadas aos mortos nas mais variadas tradições são realizadas para devolver a harmonia a ele. Dentro da linha indígena brasileira, o índio Kaká Werá Jecupé, grande instrutor espiritual que trabalha com a tradição tupi, também realiza cerimônias para a purificação ancestral. Participei de um ritual com Kaká e um grupo de 30 pessoas no ano passado. Durante quatro dias, meditamos, passeamos pela natureza e fizemos cerimônias com grandes fogueiras, onde nossas mágoas e dores foram escritas em pequenos papéis posteriormente jogados ao fogo. O trabalho todo foi perceber conscientemente o tipo de influência energética que recebemos dos nossos antepassados. Os imigrantes europeus, por exemplo, que chegaram ao Brasil fugindo da fome e prontos a encarar um trabalho árduo podem ter transmitido a memória energética de penúria aos seus descendentes ou a noção de que o dinheiro só chega depois de muito sofrimento e esforço. Se for esse o caso, portanto, é preciso escrever para que esse padrão seja transformado em fluidez, alegria e abundância e queimar o papel no fogo. Mantras, danças e músicas podem ajudar a dissolver essas crenças.

Também já participei de trabalhos com a terapia de Constelações Familiares. Você escolhe algumas pessoas de um grupo para representá-lo, e outras para interpretar seus pais, avós ou ancestrais que podem estar influindo na sua questão pessoal de agora. Essas pessoas, sem saber de quase nada, passam a agir e a falar como se realmente fossem seus familiares, quase que por magia. A explicação, fundamentada na teoria do americano Rupert Sheldrake, é a de que qualquer um pode acessar a memória de alguém que viveu no passado (ou mesmo no presente) e passar a agir de acordo como se fosse essa pessoa. A intenção final da terapia é a de dissolver os nós de energia ancestrais. Dessa maneira, nosso próprio sistema energético atual passaria a funcionar melhor, de acordo com Bert Hellinger, o criador do método.

Mas mesmo se você não participar de uma cerimônia ou de um círculo terapêutico que envolva seus antepassados, já é uma boa ideia começar agora a considerar seus ancestrais nos seus altares e orações. Eles podem estar, assim como você, precisando muito disso.

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s