Esculturas em forma de caçambas ocupam São Paulo

A intervenção urbana, criada por Eduardo Srur, questiona a quantidade de lixo produzido na cidade

Por Evelyn Nogueira Atualizado em 17 fev 2020, 15h53 - Publicado em 27 ago 2019, 18h26

A cidade de São Paulo gera, em média, 20 mil toneladas de lixo por dia. Segundo os dados da Prefeitura de São Paulo, cerca de 12 mil toneladas são apenas de resíduos domiciliares – sejam eles orgânicos ou recicláveis.

Incomodado com o número assustador, o artista Eduardo Srur projetou 15 esculturas que remetem a uma caçamba para propor uma nova reflexão por meio da arte. As obras possuem a forma e o tamanho original das tradicionais caçambas de entulho – cada vez mais presentes no cenário urbano. As esculturas são vazadas e representadas com linhas de metal no contorno.

Divulgação/Casa.com.br

A intervenção proposta por Srur é chamada de “Caçambas” e busca causar uma reflexão na população sobre o excesso de lixo produzido pela sociedade. As caçambas começam a ocupar a cidade a partir do dia 31 de agosto, nas regiões de Pinheiros e Butantã.

Continua após a publicidade

“A intervenção apontará um novo significado visual para um objeto cotidiano que serve para sumir com o lixo, mas o lixo não desaparece, ele muda de lugar”, comenta o artista. Srur ainda ressalta outro objetivo das caçambas conceituais: refletir sobre a necessidade de descarte de resíduos mentais, que envolvem ideias e pensamentos inúteis para sociedade e para nós mesmos.

As 15 esculturas serão transportadas periodicamente e reinstaladas em outros pontos da cidade. Gradualmente as obras migrarão para periferia da cidade. Srur explica: “Não existe mágica com o nosso lixo! O deslocamento das esculturas simboliza este desaparecimento perverso dos resíduos para lugares distantes e menos assistidos da sociedade”.

Além de ocupar pontos da cidade, a obra “Caçambas” também participa da exposição “Ambiental: arte e movimentos“, no MuBE (Museu Brasileiro da Escultura e Ecologia). A mostra pretende reafirmar o compromisso do museu com o meio ambiente. A curadoria da exposição é organizada pelo próprio museu e pela Fundação SOS Mata Atlântica. Durante a mostra, Srur apresentará um vídeo da obra, produzido no CEAGESP, local onde toneladas de comida são desperdiçadas diariamente.

Para conferir onde as caçambas serão instaladas, clique aqui.

Continua após a publicidade

Publicidade