Instituto Chão: espaço em São Paulo com orgânicos pelo preço do produtor

Nos moldes da economia solidária, o Chão propõe um comércio mais justo – ali não há lucros, paga-se o preço de custo de pequenos produtores locais

Por Texto Amanda Sequin | Produção Carolina Diniz | Fotos Gabriel Chiarastelli Atualizado em 9 set 2021, 14h08 - Publicado em 11 jan 2016, 09h00

Foi-se o tempo em que tomar um expresso acompanhado de pão na chapa não saía por menos R$ 10 no badalado bairro paulistano da Vila Madalena – realidade que se repete país afora e dói no bolso. Mas alguém questiona como esse valor é repassado? Um grupo de sete amigos, sim, e desde maio vem chamando atenção com o Instituto Chão, uma proposta que desafia os princípios capitalistas. A ideia é oferecer, nos moldes da economia solidária, orgânicos (frutas, legumes, queijos, pães, molhos), plantas e até cerâmicas pelo preço do produtor, sem lucro. 

Transparente, a organização expõe numa lousa a previsão de custos do mês, como aluguel, impostos e outras tarifas, e calcula quanto seria necessário em doações para que a conta feche. “Em novembro, previmos R$ 0,31 para cada R$ 1 em compras. Damos essa informação aos clientes e eles decidem se querem ou não contribuir. Nem todos deixam a quantia, mas estamos vendendo mais a cada mês e conseguindo anular os gastos”, conta o sócio Luiz Fernando Schreiner, que, assim como os outros colegas, faz de tudo, do contato com os produtores ao atendimento nas mesas. O espaço funciona de quarta-feira a sábado. Caso queira tomar um café por lá, separe R$ 1,30 – ou R$ 1,70, com a contribuição. 

Onde: Rua Harmonia, 123, São Paulo; 

Continua após a publicidade

Publicidade