Avenida Paulista recebe novo centro cultural

Instituto Moreira Salles inaugurará novo endereço em 2017 com atividades diversificadas e programação especial

Por Por Marília Medrado Atualizado em 9 set 2021, 13h54 - Publicado em 5 dez 2016, 19h30

Na avenida mais conhecida da cidade de São Paulo, na altura 2424, o Instituto Moreira Salles abrirá as portas do centro cultural IMS Paulista. Com inauguração prevista para o fim de julho de 2017, o prédio de sete andares abrigará áreas de exposição, cineteatro, uma biblioteca especializada em fotografia, salas de aula, livraria, um café e um restaurante. Quem assina os quitutes e refeições é o badalado chef Rodrigo Oliveira, que comanda os restaurantes Mocotó e Esquina Mocotó.

Sustentável, o projeto do novo centro cultural é assinado pelo escritório Andrade Morettin Arquitetos, eleito em um concurso realizado no fim de 2011. “O principal desafio foi equilibrar em um museu vertical as necessidades do Instituto com a vibração da rua”, diz o arquiteto Marcelo Morettin, um dos sócios do escritório.

Projeto do IMS Paulista/ Divulgação

Continua após a publicidade

Projeto do IMS Paulista/ Divulgação

Continua após a publicidade

Do térreo aberto à rua, uma escada rolante conduz o visitante à Praça IMS, localizada no quarto andar do edifício, oferecendo uma vista diferente da rua através do envelope de vidro que abriga o prédio. “É um vidro translúcido especial, que contém um pouco da luz e mantém a privacidade sem perder o contato com a avenida. Quem olha de fora, dependendo da distância, vê a estrutura do prédio mais ou menos opaca”, diz Morettin.

Projeto do IMS Paulista/ Divulgação

Continua após a publicidade

Projeto do IMS Paulista/ Divulgação

Continua após a publicidade

Para além da arquitetura inovadora, um dos destaques da programação de abertura é a obra The Clock, do suíço-americano Christian Marclay (1955). Com duração de 24 horas, o vídeo apresenta trechos de vários filmes em que as cenas estão em sincronia com o tempo real. Isso acontece por meio da exibição de relógios e outras referências. O filme ficará exposto durante dois meses, todos os dias, e uma vez por semana poderá ser assistido integralmente, quando a galeria ficará aberta por 24 horas. A tempo: as atividades no antigo endereço do IMS, na Rua Piauí, foram encerradas.

Continua após a publicidade

Publicidade