Kengo Kuma recria caverna na entrada de um museu nas Filipinas

Fora do comum, o projeto do Museu de Conhecimento Indígena, nas Filipinas, idealizado pelo japonês Kengo Kuma, conta com uma estrutura gigantesca em formato de caverna

Por Mari Bruno Atualizado em 14 dez 2016, 12h14 - Publicado em 20 out 2015, 14h55
01-kengo-kuma-recria-caverna-na-entrada-de-um-museu-nas-filipinas

Se o objetivo era sair do comum e chamar a atenção dos visitantes, a empresa do arquiteto japonês Kengo Kuma acertou em cheio com seu novo projeto, o Museu de Conhecimento Indígena, em Manila, capital das Filipinas. A estrutura é monumental com o formato de uma caverna, coberta de plantas, com uma fenda no meio formando uma espécie de arco rochoso, inspirado no período Neolítico. A caverna abre para o paraíso natural com riacho, lago e mais verde – tudo no meio da cidade! “A ideia deste museu é oferecer aos visitantes uma experiência da herança cultural das Filipinas, começando pelo período Neolítico”, conta Kengo Kuma. “Com base no seu conceito, nós queríamos criar um museu orgânico e natural combinando água e verde no espaço em formato de caverna, contrariando a imagem de museus como caixas fechadas”, explica. Ao todo, o museu terá 836 m2 e contará com um interior mais tradicional, minimalista e sofisticado, um restaurante e loja no andar térreo, próximo a esta abertura, além de galerias distribuídas por quatro andares superiores e um espaço temporário de exposições no andar subterrâneo, juntamente com um estacionamento.

02-kengo-kuma-recria-caverna-na-entrada-de-um-museu-nas-filipinas 03-kengo-kuma-recria-caverna-na-entrada-de-um-museu-nas-filipinas 04-kengo-kuma-recria-caverna-na-entrada-de-um-museu-nas-filipinas
Continua após a publicidade

Publicidade