Jardim renovado

A construção neoclássica dos anos 30 tinha paisagismo pouco acolhedor e plantas malcuidadas. Após uma reforma, o jardim ganhou linhas harmoniosas e cantos demarcados para acolher convidados especiais.

Por Por Liane de Alves Fotos: Renato Elkis Ilustrações: Gil Tokio/Pingado Atualizado em 14 dez 2016, 12h13 - Publicado em 17 set 2008, 12h25

O pedido era especial: um projeto para a casa de um cônsul que gostaria de receber seus convidados de forma acolhedora e informal em seu jardim. A realidade era bem diferente: taludes muito inclinados que não deixavam espaço para a circulação das pessoas, plantas malcuidadas espalhadas ao acaso, piscina com azulejos quebrados. A casa já havia sido magfinicamente restaurada pelo arquiteto Dado Castello Branco, mas o jardim precisava de uma concepção nova, que acompanhasse o estilo da construção, conta o paisagista Gilberto Elkis, de São Paulo, responsável pela renovação. A criação de patamares separados foi a solução. Imaginei vários recantos, com destinações diferentes e independentes. Há espaços para cafés-da-manhã, almoços ou aperitivos, explica. Gilberto também criou um jardim em volta da casa de hóspedes para que eles não precisem circular em outras partes do terreno enquanto o cônsul estiver recebendo outro visitante. Tive um cuidado extremo com a circulação, diz.

Publicidade