Conheça dois projetos de jardins verticais

Bem pensados, jardins verticais vestem muros e paredes, funcionam como isolante térmico, ampliam espaços e valorizam a arquitetura. 

Por Por Deborah Apsan, Denise Gustavsen e Eliana Medina Ilustrações: Fabio Flaks Atualizado em 19 jan 2017, 13h35 - Publicado em 18 ago 2010, 20h12
Um título para uma foto sem titulo

Atmosfera de Serra do Mar: misturadas, plantas típicas da mata Atlântica contrastam com o matiz vivo da alvenaria. Debruçados sobre o espelho-d’água, tufos de vegetação brotam da parede e produzem agradável efeito visual na obra dos arquitetos Ugo, Raul e Maria di Pace, de São Paulo.

Reunidas, as mudas de samambaia peperômia e tradescantia dão a impressão d...

Reunidas, as mudas de samambaia peperômia e tradescantia dão a impressão de uma pequena floresta. Cada nicho frontal em curva dos blocos de concreto (Neo-Rex, com 20 x 40 cm) que formam este muro ganhou primeiro uma camada de argila expandida para a drenagem, depois substrato orgânico e só então a vegetação. O plantio individual facilita a troca de mudas.

Rega automática: preso na parede por estacas plásticas, um extenso tubo flexível de PVC com pequeninos gotejadores e nebulizadores de metal (regulados manualmente) se ramifica pela parte de trás do muro. Ele é ligado à saída de água por uma válvula solenoide – um pequeno dispositivo eletrônico que controla a entrada de água no tubo e mantém a climatização adequada.

Continua após a publicidade
Um título para uma foto sem titulo

Flores e plantas disfarçam muro: tomado por espécies resistentes a sol, o vistoso painel assinado pelos arquitetos e paisagistas Cezar Scarpato e Fernando Galvão, de São Paulo, trouxe um tom refrescante ao quintal de 20 m² e deixou área livre para móveis e circulação.

Colocar como texto abaixo da foto e legenda completa: Ao todo, 80 mudas de l...

Ao todo, 80 mudas de liriope, lambari, tostão, véu-de-noiva e chuva-de-ouro garantem o jogo de cores e texturas. A vegetação densa cobre o muro de 4,50 x 2,50 m e quebra a aridez do lugar. Como são pretos, os vasos de plástico ficam camuflados entre as folhas. Um rasgo no piso garante boa drenagem da rega.

Como foi montado: para evitar umidade, os paisagistas cobriram o paredão com lona plástica preta presa por fita isolante da mesma cor, depois parafusaram uma grade de ferro. Os parafusos foram colocados em saias de metal bem rentes ao muro presas nas cantoneiras de ferro que emolduram a grade (Firgal Engenharia). Nela prenderam as mangueiras da rega automatizada. Por fim, foram pendurados os vasos com as plantas.

Continua após a publicidade
Publicidade