Sofá antigo é reformado com tecido sustentável

Era um dia de trabalho como outro na vida da editora visual Zizi Carderari até ela avistar um sofá modelo chesterfield largado na rua.

Reportagem Visual Zizi Carderari Fotos Marco Antônio Texto Lucila Vigneron Villaça

Divulgação

A locação parece até propositada (acima), mas foi assim que Zizi encontrou...
A locação parece até propositada (acima), mas foi assim que Zizi encontrou o sofá: à sombra de uma árvore, emoldurado no grafite de um muro. “É uma ótima réplica de um chesterfield, com capitonês também no assento. Hoje em dia, esses modelos são feitos com almofadas soltas”, fala o tapeceiro Gerson Caetano, da Pérola Negra.

Inconformada com o descaso com uma peça tão bacana, deixada sob uma árvore no bairro paulistano da Vila Madalena, Zizi não pensou duas vezes. Pedi ao motorista que o levasse para o estúdio do fotógrafo e fui atrás de um estofador para reformá-lo, conta. Ponto para ela, que tirou da rua um móvel em estado razoável e que certamente se degradaria até ser jogado em algum lixão se ali continuasse e o reciclou usando apenas dois recursos: um tecido novo e o trabalho de um bom profissional. Fim da história? Não, apenas o começo de outra. Para afiná-lo com os princípios da reciclagem, Zizi fez questão de revesti-lo com um tecido sustentável, um algodão produzido com retalhos da indústria de malharia de Blumenau, SC. À equipe do tapeceiro coube a reforma do estofado, que incluiu a troca das molas, das espumas e dos pés. Além disso, eles refizeram o delicado serviço do acabamento capitonê. Lindo e renovado, o sofá está preparado para continuar sua jornada, levando beleza e aconchego a uma nova moradia.

Divulgação

Sofá chesterfield que foi abandonado na rua.
Sofá chesterfield que foi abandonado na rua.

Quanto custou:

16 m de tecido Eurofios (à venda na Aladim) R$ 560,00

Mão de obra (Pérola Negra) R$ 1 800,00

Divulgação

Para remeter ao cenário onde o sofá foi encontrado, Zizi escolheu como pano...
Para remeter ao cenário onde o sofá foi encontrado, Zizi escolheu como pano de fundo um biombo Charles Eames (Artesian) com adesivos de Pedro Setúbal. Para produzir o tecido (tweed cáqui) que reveste o sofá, a Eurofios compra o descarte de mais de 2 mil confecções. Louças do Estúdio Manus e mesa de centro da Arterix.

Para remeter ao cenário onde o sofá foi encontrado, Zizi escolheu como pano de fundo um biombo Charles Eames (Artesian) com adesivos de Pedro Setúbal. Para produzir o tecido (tweed cáqui) que reveste o sofá, a Eurofios compra o descarte de mais de 2 mil confecções. Louças do Estúdio Manus e mesa de centro da Arterix.

Divulgação

Quando o fotógrafo Marco Antônio clicou o sofá na rua, percebemos que era ...
Quando o fotógrafo Marco Antônio clicou o sofá na rua, percebemos que era inconcebível deixá-lo ali, estragando. Mas, infelizmente, as pessoas ainda encaram esse desperdício como algo normal. Com algum esforço, é possível transformar móveis e objetos, evitando se desfazer deles. Zizi Carderari, editora visual.

Curta o CASA.COM.BR no Facebook