Projeto de uma casa de 71 m² no topo da montanha

Com desenho fácil de ser executado por mão de obra local, essa casa na Serra da Mantiqueira tem fundação de aroeira, grandes aberturas, piso de pedras e deliciosa lareira

Reportagem: Denise Gustavsen

Em busca de contato com a natureza, um jovem casal de terapeutas corporaiselegeu um lote no cume da serra da Mantiqueira, em Minas Gerais, para erguer este chalé. Parte de uma antiga fazenda, o terreno de amplas proporções é muito inclinado. Por isso, os arquitetos Gil Mello e Fernanda Neiva, do escritório paulistano Galeria Arquitetos, decidiram implantar a construção num pequeno platô.

Como construir

Infografia: Manoel Vitorino Junior e Sandro Grassetti

00_aec298_projeto

1. Fogueira

 

Ela é fácil de fazer – um recorte circular (com 90 cm de diâmetro e 30 cm de profundidade) no piso de lascas de pedra são tomé. revestida de tijolos refratários, contém um dreno para não acumular água da chuva. num canto da varanda, é um convite a momentos de deleite à noite.

2. Cobertura

 

Com 35% de inclinação, o telhado de 126 m² avança sobre o deck e a varanda. vigas de peroba de demolição apoiam as telhas de barro. Acima do forro, montado com lambri de madeira de demolição, uma manta de TNT evita goteiras e ajuda no controle térmico.

3. Lareira

 

Vizinho de portas de vidro, um kit pronto de um modelo convencional a lenha exibe acabamento de massa grossa desempenada caiada.

4. Estrutura e paredes

 

As vigas que sustentam o telhado estão parafusadas em pilares de tora rústica de aroeira. de tijolo maciço, as paredes foram revestidas de massa grossa desempenada e ganharam acabamento caiado branco no interior.

 

5. Fundações

 

De aroeira, espécie que aceita o contato direto com o terreno, os pilares da estrutura descem 1,20 m abaixo do nível do solo. Barras de ferro atravessam as colunas de madeira e ficam amarradas às ferragens do alicerce.

6. Aberturas

 

As esquadrias e as portas externas com duas folhas de vidro temperado (8 mm) empregam peroba de demolição (protegida com selador incolor fosco). na sala e na cozinha, as janelas são de correr.

 

7. Piso

 

As pedras da varanda estão assentadas sobre o contrapiso de concreto. lixados e tratados com resina, o assoalho de araucária de demolição e o deck de ipê dos fundos foram fixados em barrotes de madeira.

Quanto vai custar*

 

Projeto arquitetônico: R$ 25 mil.

Acompanhamento da obra: R$ 16 mil.

Projeto estrutural: R$ 8 mil.

Mão de obra: R$ 59 mil.

Material: R$ 100 mil (a maioria comprada de fornecedores locais).

Tempo: oito meses.

 

* O valor de R$ 1 066,66 por m² fica abaixo do Índice A&C de janeiro de 2012 para casas de padrão simples na região Sudeste, avaliado em r$ 1 178,72, e leva em conta também a construção da varanda (59 m²) e do deck (65 m²).

Infografia: Manoel Vitorino Junior e Sandro Grassetti

01_aec298_projeto
A geometria incomum se rendeu à fantástica vista do vale e de duas cachoeiras que despencam cordilheira abaixo: pelo amplo terraço, pode-se contemplar a paisagem. Apesar da planta de medidas enxutas, o refúgio se estende à varanda e ao deck e oferece conforto de sobra graças à integração com esses espaços. Pelas grandes aberturas, luz e ventilação naturais perpassam os ambientes. Para simplificar aobra, o projeto apresenta um desenho fácil de ser executado por mão de obra local, além de especificar materiais disponíveis nos arredores – cuidado importante para baixar os custos e dar um tom verde à ideia. “Mas o essencial era ter poesia no visual”, pondera o arquiteto.
.
Fechar

Curta o CASA.COM.BR no Facebook

-->