Pilates proporciona benefícios à mente

Veja de que maneira o pilates melhora o condicionamento mental, além do físico, e torna os praticantes aptos a sustentar uma nova postura de vida

Reportagem: Raphaela de C. Mello - Edição: MdeMulher

Istockphoto

pilates1
"A boa forma física não pode ser alcançada por mero desejo ou simples compra", fala Joseph Pilates

Se você não faz parte do time de fãs das academias de ginástica, mas frequenta alguma, mesmo a contragosto, para manter a forma - ou se recusa a encarar aulas dos mais variados estilos e o uso de pesinhos -, está na hora de experimentar o método de condicionamento físico e mental criado pelo alemão Joseph Pilates (1880-1967). Apesar da aparente suavidade dos movimentos, os exercícios de pilates fazem com que o corpo não só se alongue e se fortifique de forma integrada e individualizada, como também convida os praticantes a experimentar uma nova maneira de se relacionar com o mundo.

Por privilegiar exercícios de baixo impacto e poucas repetições, a técnica proporciona resultado eficaz com menor desgaste dos músculos e das articulações. "O praticante passa a utilizar sua energia sem desperdiçá-la naquilo de que não precisa. Esse domínio, originado na mente, resulta em vigor e bem-estar", diz Inelia Garcia, proprietária do The Pilates Studio Brasil, rede espalhada pelo país, e ex-aluna de Romana Kryzanowska, uma das principais discípulas de Jospeh Pilates e grande divulgadora de seu legado.

Ministrado com precisão cirúrgica, o método se molda a pessoas de todas as faixas etárias, inclusive as que sofrem de dores crônicas ou de problemas ósseos e musculares. Nesse caso, o trabalho é conduzido por um fisioterapeuta. Uma vez curada a lesão, o professor de educação física, devidamente certificado, assume o comando. A essência da mensagem de Pilates é: independentemente da situação em que esteja, você pode e deve se mexer.

Muito além do colchonete

 

Grande parte da beleza dessa corrente, que a cada dia conquista mais adeptos, reside no fato de que o aprendizado extrapola as paredes do estúdio. O aluno não demora a perceber que está diante não apenas de um conjunto de movimentos, mas de uma filosofia de vida calcada na crença de que somos responsáveis por nossa saúde física e mental. "Quando nos apoderamos da habilidade inata de controlar nosso corpo, evoluímos também no campo emocional. É libertador e estimulante descobrir que somos capazes de assegurar o próprio bem-estar", destaca Brooke Siler, instrutora americana, também formada sob a tutela de Romana Kryzanowska, e autora de Desafios do Corpo Pilates, da Summus Editorial.

Ganha-se, portanto, um jato de autoestima. E mais. "O pilates incita a força de vontade, o desejo, o impulso de realizar coisas e a convicção de que você pode alcançar seus objetivos", sublinha Inelia Garcia, proprietária do The Pilates Studio Brasil. Não se trata de mágica. Esse, digamos, efeito colateral comportamental é apenas reflexo da cumplicidade entre mente, corpo e emoções. "O controle da respiração ajuda a aplacar a ansiedade. Assim, a atividade é uma ferramenta de estabilidade emocional e de autoconhecimento", ela afirma. Além disso, a modalidade também serve de escudo contra o estresse e a fadiga.

Istockphoto

pilates2
O pilates trabalha a força e a concentração

Os seis princípios do método pilates

 

As diretrizes abaixo devem nortear cada movimento numa aula de pilates...

 

Concentração: a fim de trabalhar o físico, é necessário estar presente com a mente - é ela que comanda a ação. Por isso, é fundamental prestar atenção nos movimentos executados e observar como os músculos respondem.

 

Controle: o domínio muscular preconizado pelo método consiste na ausência de movimentos descuidados, automáticos ou casuais. Nenhum exercício no pilates é feito simplesmente por fazer. Cada movimento tem uma função.

 

Centro de força: temos um grande grupo de músculos no centro - abdômen, lombar, quadris e glúteos. Pilates chamou esse conjunto de "casa de força". Toda a energia necessária à realização dos exercícios se inicia nela e flui para as extremidades.

 

Fluidez: no método Pilates não existem movimentos estáticos, isolados, porque o corpo não funciona naturalmente dessa maneira. Pelo contrário, eles são fluidos, como um longo passo ou uma valsa.

 

Precisão: a concentração em fazer um movimento preciso e perfeito em vez de muitos sem vontade é condição essencial do pilates. Deixar de fora qualquer detalhe é abandonar o valor intrínseco do exercício.

 

Respiração: a respiração completa renova a circulação do ar, oxigena o sangue e ainda ajuda no controle dos movimentos durante os exercícios, assim como no dia a dia.

Curta o CASA.COM.BR no Facebook

-->