O apê de 120 m² da designer carioca é recheado de cores e lembranças

Lembranças de família, objetos comprados em viagens e obras de arte fazem o encanto do apartamento carioca.

Reportagem Visual e Texto Simone Raitzik | Fotos André Nazareth


 

Designer de interiores, a carioca Ana Teresa Bello fez de seu apartamento de 120 m², recém-montado na Gávea, um universo charmoso e pessoal, recheado de lembranças de família e objetos que ela garimpou em viagens e brechós ao longo dos anos, só esperando a hora de ter seu canto.

Renovando o imóvel antigo

 

Foram seis meses de busca para encontrar o apartamento ideal: antiguinho, com jeito de casa e uma pequena área externa. E mais seis meses de quebra-quebra. “Resolvi fazer tudo o que sempre sonhei: a parede de tijolinhos na sala, o piso de madeira de demolição. Capricho total”, conta Ana Teresa Bello, que há cinco anos integra a equipe do escritório da designer de interiores Paola Ribeiro. Com perfl de colecionadora, Ana Teresa decidiu cobrir uma parede do estar com uma estante cheia de nichos. “Logo que me mudei, preenchi a marcenaria com os objetos que guardava havia anos na casa de meus pais.”

Cozinha multicolorida

 

Apesar de difcilmente se aventurar nas criações culinárias, Ana Teresa fazia questão de ter o que chama de “cozinha de butique”: integrada ao estar e esteticamente atraente. “Posso não ser muito boa no fogão, mas tenho amigos que adoram vir em casa para cozinhar. Os utensílios fcam à mão e o ambiente é colorido e convidativo”, afrma. Outro atrativo é que a copa, ao lado, se liga à pequena área externa, de 20 m², na qual ela montou uma deliciosa varandinha com peças resgatadas da casa dos pais e um deque pintado de vermelho-goiaba. “É o lugar mais disputado em dias de festa”, afirma.

Misturar é preciso

 

“Desde pequena, eu vivia mudando, no meu quarto, os móveis e objetos de lugar. O espaço era como uma tela em branco, cheia de possibilidades. Quando entrei para a faculdade de design de interiores, amadureci meu estilo e apurei meu olhar, mas nunca deixei de ser uma colecionadora. Adoro feiras de antiguidades – quanto mais improvisadas, melhor a chance de garimpar algo diferente. E, a cada viagem, trago uma mala lotada de peças que me emocionaram de alguma forma, como a louça estampada da Anthropologie, de Nova York, o duende de uma galeria de Berlim, o carrossel suíço, que é uma caixinha de música...É a mistura de tudo o que me encanta que torna minha casa tão especial.” Ana Teresa Bello,designer de interiores.

André Nazareth

01-apartamento-gavea-lembrancas
<p> A sala se aquece com a parede de tijolos tingidos de branco. Na superfície, a moradora reuniu sua coleção de arte, que inclui nomes como Adriana Varejão e Rosângela Rennó. Tela de caveira de Marcelo Catalano. O néon é inspirado na obra da artista Jenny Holzer. Sofás da Novo Ambiente compõem o estar.</p>
.
Fechar

 

Curta CASA CLAUDIA no Facebook