Laminado de PVC, de PET e melanímico mudam a parede sem quebra-quebra

Coloridos, com textura ou desenhos, os laminados têm manutenção simples e podem ser colados diretamente na alvenaria ou nas paredes revestidas de cerâmica

Reportagem Edson G. Medeiros (visual) e Lara Muniz (texto) | Design Júlia Blumenschein

Foi-se o tempo em que os laminados limitavam-se a tons amadeirados e resumiam-se a revestimento de móveis. Cabeças criativas deram ao material, hit nos anos 70, novas funções e cores, que invadem a arquitetura. “Aplicá-lo na parede é uma ideia relativamente recente no segmento residencial. Arquitetos e designers estão mais atentos a essa versatilidade”, aponta Alberto Missrie, proprietário da Única Laminados. As próximas páginas trazem ideias capazes de renovar a casa. Lembre-se de que o corte desse revestimento requer ferramentas especiais, sem as quais é fácil machucar-se. Contrate um marceneiro e aproveite!

Cuidados para usar laminado na parede

 

- Laminados podem ser colados em qualquer superfície regularizada. Antes de cobrir cerâmicas, nivele os rejuntes com massa corrida.

- Em cozinhas e banheiros, prefra os laminados plásticos, como os derivados de pet e PVC, resistentes à umidade.

- “Assente com cuidado as peças maiores para que não fquem bolhas entre o revestimento e a superfície”, alerta o arquiteto Décio Navarro.

- Colas de contato com base de água simplifcam o trabalho, além de exalarem odor mais suave do que as similares com solvente.

- Sempre procure um marceneiro para cortar as placas. mesmo os tipos mais fexíveis, como os de pet, soltam rebarbas afadas.

- A manutenção é simples: uma esponja não abrasiva com água e detergente neutro elimina vestígios de sujeira e gordura.

Djan Chu

aec-set-laminado_01
<p> O mosaico colorido da loja de chá The Gourmet Tea, em São Paulo, inspira ideias para a casa. O projeto é uma espécie de grande armário embutido, com módulos de compensado naval revestido de laminado melamínico (Formica). “Esse material oferece uma variedade muito interessante de cores. Aqui, usei oito tons, todos de catálogo”, revela o arquiteto Alan Chu, autor do espaço. Para facilitar a execução (Marcenaria Benestare), só a frente das estantes leva o acabamento – nos cantos, o compensado manteve-se aparente.</p>
.
Fechar

Curta o CASA.COM.BR no Facebook