Ioga, conheça novas propostas de prática

Hot ioga, ioga hormonal, restaurativa e acrobática... tem para todo gosto! A cada estação, as academias oferecem novas propostas de prática de ioga

Reportagem: Manoela Cesar - Edição: MdeMulher

*Matéria publicada em Bons Fluidos #156 - Março de 2012

Divulgação

ioga-acrobatica-22784

Hoje, nas academias e nos estúdios existem diferentes tipos de ioga voltados para aliviar os sintomas da TPM e os incômodos da menopausa, por exemplo, estimulando a produção hormonal. A prática, quando combinada com massagem, não apenas torna o exercício mais gostoso como promove o alongamento. E, para quem acha que este é um universo de pura introspecção, a surpresa são as aulas com movimentos praticados em grupo para motivar a comunicação e o espírito de equipe.

Uma das novidades mais badaladas do momento é a hot ioga, também conhecida como bikram yoga, que acontece em uma sala com temperatura de cerca de 40 graus centígrados. No verão brasileiro, basta fechar janelas e portas para chegar lá! Na maioria dos lugares, porém, costuma-se ligar o ar-condicionado para aquecer o ambiente. Conheça essa e outras opções, e escolha a sua.

 

Hot ioga

"Em temperaturas mais altas, o corpo relaxa mais", explica a professora Ana Bulgarin, famosa por ter cuidado da preparação corporal da atriz Scarlett Johansson para o filme Ele Não Está Tão Afim de Você, produzido em 2009. Foi ela quem trouxe a técnica para o Brasil, depois de uma temporada na Califórnia, onde tomou contato com o trabalho. Uma reação quase automática quando se fala dessa modalidade é imaginar que a queima de calorias é maior. Mas não é. No entanto, a atividade é muito indicada para quem tem problemas de retenção de líquidos, pois o calor dilata os vasos, facilita o fluxo sanguíneo e ajuda o sistema linfático, o que contribui para maior resistência cardiovascular. Bastam cinco minutos de movimentos para começar a suar para valer, o que vale outro benefício: a eliminação das toxinas pela transpiração. A sensação inicial de desconforto logo é substituída por um gostoso bem-estar. As aulas têm duração de 1h30. Qualquer postura corporal da prática convencional pode ser realizada em sala aquecida. Outra vantagem: o calor aquece a musculatura e facilita o alongamento, além de prevenir as lesões.

 

Ioga Hormonal

"A redução da produção do hormônio estrogênio é uma das principais razões para os sintomas desagradáveis da menopausa nas mulheres que chegam aos 50 anos. A queda no nível da substância ocasiona os famosos calores. Um exercício simples para amenizar esse e outros desconfortos é sentar com as pernas cruzadas e alongar o corpo para a frente, postura que também ameniza as cólicas menstruais, uma vez que estimula os órgãos da região do útero. Outros sintomas como irritações, desânimo, mau humor, ansiedade e insônia podem melhorar bastante com exercícios respiratórios dessa modalidade. "A vela é mais uma posição indicada para mulheres 'menopausadas', afirma a professora Luciana Leon. A prática também ajuda a regular os níveis do hormônio da tireoide. Quando há uma superativação da glândula tireoide (hipertireoidismo), exercícios que abram o peito e estiquem o pescoço ajudam a controlar a produção da glândula. As posturas que flexionam o pescoço são desaconselhadas. "É possível curar esse mal com a ioga", afirma Luciana. As aulas duram cerca de uma hora.

 

Ioga restaurativa

Alinhar o corpo é uma das preocupações de qualquer tipo ou variação de ioga. O problema é que algumas posturas podem ser um tanto complicadas e tornam ainda mais difícil manter a coluna ereta. Alguns objetos, como cordas, cadeiras, bloquinhos, cintos e almofadões são o grande trunfo dessa vertente - facilitam a realização dos movimentos. "Não adianta fazer ioga sem estar atento ao alinhamento do corpo", avisa a professora Fabrísia Freitas. Desenvolvido pelo guru indiano Bellur Krishnamachar Sundararaja Iyengar, tem como objetivo tornar a prática acessível mesmo àqueles que tenham limitações posturais. Apesar do apoio dos acessórios que facilitam a execução das posições, existe um desafio que só é superado com a prática regular: a permanência nas posturas por mais tempo do que na ioga convencional. A calma e a resistência são postos à prova em posições que devem ser mantidas por até dez minutos, o que promove um treino intenso do alinhamento corporal, fortalecendo a coluna vertebral. "A energia circula melhor pelo corpo quando a coluna está bem equilibrada", ressalta Fabrísia. Além disso, o estado meditativo é intensificado e favorecido.

 

Ioga Acrobática

"É uma mistura de posturas hatha, movimentos acrobáticos e massagem. Essa variação é praticada em dupla - uma pessoa serve de base para a outra realizar as posturas. Enquanto uma relaxa, a outra se esforça para sustentar a parceira. É bastante lúdico, mas exige concentração redobrada para não causar lesões. No entanto, o professor Louis Gabriel Watel garante que a prática é segura desde que feita na companhia de profissional qualificado. Entre os benefícios dessa modalidade estão o fortalecimento de músculos dos braços, dos peitorais, das pernas e do abdômen e o estímulo da capacidade de concentração mental e energética. Uma particularidade da ioga praticada em dupla ou em trio é o desenvolvimento da confiança em si mesma e no outro. Também desenvolve habilidades de comunicação e espírito de equipe. "A ioga me levou ao encontro do eu, o que é imprescindível, mas a ioga acrobática me levou para o caminho do nós", filosofa o professor Louis Gabriel. É contraindicada para quem tem problema na coluna, para os cardíacos, os portadores de glaucoma ou as pessoas que tenham infecção nos ouvidos, além de gestantes e mulheres em período menstrual, porque ela inverte o fluxo natural dos fluidos corporais.

*Matéria publicada em Bons Fluidos #156 - Março de 2012

Curta o CASA.COM.BR no Facebook