Iluminação cria climas especiais

A atmosfera deste apartamento pode ser de festa, intimista ou para um encontro em família.

Reportagem Visual Zizi Carderari e Isabella Mendonça (assistente) Texto Lucila Vigneron Villaça Fotos Evelyn Müller Ilustração Carlos Campoy

A área de 280 m² do apartamento paulistano enchia os olhos da arquiteta Denise Barretto, mas o excesso de compartimentação estava fora de seus planos. Assim, reformar foi uma decisão natural. Com o projeto de derrubada das paredes, veio a ideia de ter ambientes com diferentes climas, e aí entrou em cena o lighting designer Guinter Parschalk. Trabalhando juntos, definiram a distribuição dos móveis e objetos e como o uso da iluminação ajudaria a destacá-los e criaram efeitos interessantes. Na área social, seis circuitos controlam as luzes. Isso significa que alguns pontos de iluminação estão ligados a outros, funcionando juntos. E todos eles estão automatizados em quatro situações pré-programadas, possibilitando ambientações com iluminação mais suave ou mais forte, nos diferentes pontos, de acordo com a preferência da arquiteta.

Divulgação
Entre as salas de estar e de jantar, as vigas que não puderam ser derrubadas...
Entre as salas de estar e de jantar, as vigas que não puderam ser derrubadas acabaram virando um rasgo de luz no teto. Ali, um rebaixo de gesso junto à estrutura criou um nicho iluminado. A maioria das luminárias foi comprada na Europa, como o pendente George, instalado junto da janela (1). A peça tem um contrapeso, que o faz subir e descer de acordo com a luz desejada. Além disso, a intensidade da lâmpada de 150 watts é controlada por dimmer.
.
Fechar

Curta o CASA.COM.BR no Facebook