Forro de gesso: quatro ambientes com sancas e recortes

Jogo de efeitos: antes rebuscadas e exageradas, as sancas agora exibem traços mais simples e iluminação discreta, quase cênica

Por Araci Queiroz, Eliana Medina, Margarete Storto e Michelle Grein (assistente)

Uma sanca solta do teto, um forro com luz sobre as cortinas, círculos iluminados na cozinha ou um forro que faz a sala crescer. Quatro maneiras de usar o gesso com roupagem moderna. Que ele faz mágicas na arquitetura, já sabemos. Basta apenas descobrir o efeito que você quer causar. Depois de apreciar os ambientes abaixo, inspire-se também em uma galeria com 27 ambientes com forro de gesso e soluções bem práticas.

Solta do teto, em balanço

Divulgação

Um título para uma foto sem titulo

Feita de gesso acartonado liso, a sanca com balanço de 40 cm marca este quarto de apartamento que tem 2,40 m de pédireito. “A solução permite embutir as lâmpadas fluorescentes, o que torna a iluminação mais tênue e aconchegante”, explica a arquiteta Betty Birger, de São Paulo. A fixação emprega um perfilado metálico chumbado nas paredes 20 cm abaixo do teto. Execução da Construtora Compasso. Na parede, cerâmica da coleção Stones (Gail).

Voltar ao topo

Luz discreta e indireta

Divulgação

Um título para uma foto sem titulo

Nesta sala de 40 m², o friso de 8,30 m de comprimento no forro de gesso acartonado segue o princípio de um cortineiro: a 20 cm da esquadria, embute lâmpadas fluorescentes de 32 w. O teto recebeu seis luminárias do tipo plafon – duas delas são oblíquas e equipadas com lâmpadas dicroicas de 35 w (ao fundo, permitem uma angulação interna que projeta a luz na parede, diretamente no quadro). As outras quatro são de 50 w. Projeto da arquiteta Márcia Carvalhaes, de Belo Horizonte, executado pela empresa mineira Iluminar.

Voltar ao topo

Círculos de vários tamanhos

Divulgação

Um título para uma foto sem titulo

Na reforma desta cozinha, os nichos de iluminação circulares trazem o impacto e a ousadia que os moradores queriam com o novo projeto, assinado pelos arquitetos cariocas Paula Neder e Alexandre Monteiro. Os vãos recortados no teto de gesso (com 1 m e 1,50 m de diâmetro) receberam lâmpadas fluorescentes T5 amarelas de 14 w. “O formato circular permite uma composição mais livre, pontuando a luz pelo ambiente”, explica Alexandre. Obra executada pela construtora Osborne.

Voltar ao topo

Integração cênica

Divulgação

Um título para uma foto sem titulo

Ao avançar 40 cm em direção ao hall de entrada, a sanca de gesso comum desenhada pela arquiteta Evelin Sayar, de Santo André, SP, e executada pela Damazio’s Gesso, dá continuidade entre este ambiente e a sala. A cortina de luz formada por dez minilâmpadas dicroicas (Lumini) a cada 30 cm ressalta essa intenção. “O recurso dá a impressão de que o teto da sala escapou para o corredor”, observa Evelin. No restante do teto e nas paredes, revestimento marmóreo Icolori di Venezia.

Voltar ao topo

Curta o CASA.COM.BR no Facebook