Como pendurar os quadros na parede?

Não existem regras definitivas, mas, se você está em dúvida sobre como dispor obras de arte em casa de um jeito harmonioso, aproveite estas dicas certeiras.

Por Aldi Flosi Texto Adriana Pavlova Fotos Salvador Cordaro

Se a obra de arte for importante, de um artista renomado, a dica da designer de interiores Lia Strauss é pensar na disposição dos móveis do ambiente em função do destaque que você pretende dar ao quadro. "Na sala de estar, escolha a parede de maior visibilidade, aquela para a qual o olhar se volta naturalmente", diz. Para não haver erro na hora de perfurar a parede, o decorador Fernando Piva aconselha: planeje a composição primeiro. "Um bom truque é recortar papel kraft no mesmo tamanho das molduras e colar as folhas com fita adesiva na parede para simular o arranjo. Assim é possível ter uma ideia real de como os quadros ficarão organizados", explica. Outra forma de testar a composição é espalhar as obras no chão em frente à parede e ensaiar a arrumação. Quer começar uma coleção de artes? Assista ao vídeo e descubra como.

Divulgação

No ambiente assinado por Bénédicte Salles, a foto de Pablo di Giulio está ...
No ambiente assinado por Bénédicte Salles, a foto de Pablo di Giulio está centralizada em relação ao sofá. Obra de arte, sofá e tapete da Futon Company. Almofadas da Safira Sedas, objetos da Benedixt.

Na parede atrás do sofá

Segundo Fernando Piva, o jeito clássico de pendurar o quadro é centralizá-lo em relação à largura do sofá. Centralize-o também na altura, dividindo ao meio o espaço entre o topo do estofado e o teto. "Assim temos a simetria total", diz. É o que se vê no ambiente abaixo, à esquerda. Quem preferir uma disposição mais moderna poderá deslocar a tela na parede. "Nesse caso, fixe o quadro a 5 cm da lateral do sofá", afirma Piva. A decoradora Ana Maria Índio da Costa lembra que é fundamental considerar a proporção da obra em relação ao estofado. Se você tem quadros pequenos demais, uma solução é associá-los num arranjo que preencha bem a parede - como na foto abaixo -, posicionado a pelo menos 25 cm de distância do topo do móvel.

Divulgação

A mesma sala ganha novos ares com este arranjo. Os quadros maiores, de Andery...
A mesma sala ganha novos ares com este arranjo. Os quadros maiores, de Andery Netto (esquerda) e Arthur Luiz Piza (direita), estão alinhados pela parte inferior da moldura. O menor, de Macaparana, se alinha pela lateral do maior. Obras da Mônica Filgueiras Galeria.

Em uma parede livre

Sem móveis recostados ou outras interferências, uma parede livre é um ótimo local para brincar com vários quadros, sendo que alguns deles podem ser fixados numa altura próxima ao piso. A sugestão da designer de interiores Lia Strauss é buscar algum elemento para criar um alinhamento. No caso do ambiente acima, foi o batente da porta. "Também gosto de deixar espaços em branco para a chegada de novas obras", diz.

Divulgação

Ao montar esta composição em uma parede livre, a designer de interiores Lia...
Ao montar esta composição em uma parede livre, a designer de interiores Lia Strauss alinhou os dois quadros que dão início ao arranjo pelo batente da porta. Banquinho de Andrea Araújo.

Hall de entrada e corredor

Um quadro bem colocado na entrada de casa tem o poder de causar uma boa primeira impressão nos visitantes. "Gosto de apostar numa tela grande porque aí não é preciso mais nada para vestir a parede", acredita a arquiteta Tania Eustaquio. Ela lembra que o ideal é escolher um trabalho que conte um pouco da história dos moradores. Fixe a obra centralizada e alinhada com o batente superior da porta. Se preferir uma composição de vários quadros, um arranjo que sempre funciona é pendurá-los em sequência na horizontal, alinhados pelo alto da moldura e bem juntinhos, deixando de 8 a 10 cm entre eles. A altura deve ser a do olhar de uma pessoa média. Esse tipo de composição também

fica muito bem em corredores, ambiente no qual pode-se ainda aplicar as mesmas regras usadas em paredes livres, descritas no item acima.

Acima do aparador A disposição clássica é pendurar um quadro sobre o móvel, centralizado tanto na largura como na altura. Outra opção é uma mistura de obras maiores e menores, distribuídas dentro da área delimitada pela largura do aparador. "Procure fixar primeiro o quadro maior, alinhando-o com uma das laterais do móvel. Em seguida, monte o outro lado da parede, brincando com os quadros menores até descobrir a melhor arrumação. Novamente, o alinhamento com a lateral precisa existir", ensina o arquiteto Antonio Ferreira Jr., autor do ambiente abaixo. Ele dá mais uma dica: o arranjo precisa ficar pelo menos 20 cm acima do tampo do aparador, pois assim não atrapalhará a colocação de objetos sobre a peça.

Na sala de jantar

Se houver um aparador no ambiente, basta seguir as indicações acima. Porém, caso a parede destinada a receber os quadros não tenha mobília recostada, é importante pendurá-los um pouco mais alto do que o habitual porque a sala de jantar é uma área em que as pessoas circulam com as mãos ocupadas com alimentos, louças e copos e um esbarrão numa moldura pode causar um acidente. "Em espaços exíguos, nos quais as paredes ficam muito próximas aos móveis, recomenda-se fixar os quadros 10 cm acima do espaldar das cadeiras", diz Lia Strauss. Isso permite afastar as cadeiras sem que elas batam nas molduras. Segundo a profissional, para otimizar a circulação no ambiente, o ideal é ter uma mesa centralizada e um quadro idem na parede principal da sala de jantar.

Divulgação

Na sala de jantar do arquiteto Antonio Ferreira Jr., os quadros das extremida...
Na sala de jantar do arquiteto Antonio Ferreira Jr., os quadros das extremidades da composição estão alinhados com as laterais do aparador (Filter Mobiliário). Há cerca de 20 cm entre o tampo da peça e as obras.

Quarto de casal

Trabalhar com um par de quadros, alinhado com as laterais do colchão, é a sugestão da arquiteta Patrícia Martinez para quartos de casal. No ambiente da foto, as obras ficam apenas apoiadas na cabeceira - na verdade, uma caixa de 20 cm de profundidade, que serve de prateleira. "Quando as obras não estão presas, é mais fácil mudá-las de lugar, dando um novo charme ao ambiente", afirma. Esta proposta é uma variação do jeito mais usual de pendurar quadros em quartos: uma obra centralizada na parede atrás da cama. A arquiteta Tania Eustaquio, por sua vez, defende que esse espaço deve permanecer livre para que as obras não disputem a atenção com a cabeceira, que, segundo ela, é um item de decoração que está cada vez mais valorizado. "As novas cabeceiras

são muito bonitas. Por isso, é melhor eleger uma parede vazia para colocar os quadros", aconselha. "Até porque, assim, o casal que está deitado na cama poderá apreciar melhor as obras."

Divulgação

O quarto projetado por Patrícia Martinez traz duas obras de Rochelle Costi (...
O quarto projetado por Patrícia Martinez traz duas obras de Rochelle Costi (Galeria Brito Cimino) dispostas tendo o colchão como guia. Cabeceira e almofadas do Empório Beraldin.

Curta CASA CLAUDIA no Facebook

-->