Cabeceira para a cama box

A leitora pergunta para as arquitetas qual é o melhor tipo de cabeceira para um quarto com armário e estante de cerejeira e escrivaninha de mogno. 

Da redação

Salvador Cordaro

Cabeceira para a cama box
No projeto das arquitetas Ana Mageste e Raquel Blinovas, a cabeceira é formada por um painel laqueado com uma faixa de couro.

"Comprei uma cama box para o quarto do meu flho, que tem armário de cerejeira e estante e escrivaninha de mogno. Que tipo de cabeceira combinaria melhor?" Isabel Virgínia Batista Seixas, via Comunidade CASA CLAUDIA.

Quando existem dois tipos de madeira em um mesmo ambiente, o ideal é utilizar um revestimento neutro, com pouca textura. Nesse caso, você pode investir numa cabeceira estofada, coberta de couro sintético, cuja manutenção é bem simples. O revestimento pode seguir a tonalidade de uma das madeiras: ser mais claro, como a cerejeira, ou amarronzado, como o mogno. Para ficar proporcional à cama e ao restante do ambiente, a cabeceira deverá ter 1 m de altura, a partir do piso, e a mesma largura do colchão. Ela pode ainda se alongar para os lados, servindo de moldura para o criado-mudo. Caso deseje um resultado despojado, substitua o couro por um tecido como a sarja de tom índigo ou de outra tonalidade que combine com os móveis existentes, e aqui vale a mesma regra: claro ou mais escuro, seguindo a nuance das madeiras. Agora, se você puder investir em outras mudanças para tornar o ambiente mais leve, uma boa pedida é pintar de branco a escrivaninha e a estante de mogno, deixando prevalecer apenas a cerejeira do armário. E, para esse caso, uma cabeceira de madeira clara ficaria ótima e existem modelos prontos no mercado.

Consultoras: arquitetas Fabíola Constantino Ferreira, tel. (31) 3498-1523, Belo Horizonte, e Lívia Motta, da Quorum, tel. (61) 3443-3129, Brasília.

Dúvidas sobre decoração? Mande sua pergunta para casaclaudia.abril@atleitor.com.br

 

Curta CASA CLAUDIA no Facebook