Aprenda a combinar sofá e tapete

Contemporâneo, vintage, arrojado. Seja qual for o estilo da casa, há sempre uma composição das duas peças para criar a sintonia perfeita entre conforto e estilo.

Atualizado em

em Casa.com.br

Clique em cada tópico para ler as informações.

Para acertar na escolha do sofá

A aquisição do sofá representa um investimento considerável no orçamento total da decoração. Por isso, é bom levar em conta alguns cuidados antes de se apaixonar pelo modelo da vitrine e levá-lo para casa. “Dois pontos são essenciais: o espaço disponível para instalar a peça e o conforto que ela deve oferecer. Portanto, faça os testes necessários”, alerta o arquiteto Roberto Negrete. “Ter em mãos uma planta baixa com as medidas e o layout pretendido dos móveis é recomendável. Considere também o espaço do elevador e o da porta de entrada”, sugere a arquiteta Priscila Baliú. Definidas as medidas, é preciso analisar como o sofá será usado: é para um ambiente de estar, para um home theater ou para as duas coisas? “Se a função do móvel for unicamente receber, dá para escolher revestimentos elegantes e de impacto. Já para o home theater, resistência, conforto e facilidade de limpeza são essenciais”, explica a arquiteta Regina Adorno.

Para acertar na escolha do tapete

Numa coisa os profissionais são unânimes: tapete é sempre o último item a entrar na decoração. “O modelo tem que fazer o link entre todas as peças do ambiente”, ensina Priscila Baliú. “O que vem antes é a composição do espaço em termos de móveis e de uso. Isso indica se o tapete será neutro ou contrastante, com pelo alto (para trazer aconchego a um home theater, por exemplo) ou pelo baixo, para áreas de tráfego maior”, pondera o arquiteto Ricardo Miúra. Outro ponto fundamental é o tamanho. “Um erro comum é instalar um tapete menor do que o necessário. Ele deve ficar com, no mínimo, 30 cm embaixo do sofá, das poltronas e de outros móveis”, ensina o arquiteto Flávio Butti. “A linha de tapete no chão demarca o ambiente, por isso não é indicado que a peça avance do estar para a sala de jantar, por exemplo, a menos que ele englobe as duas áreas”, conclui. “Tomar esse cuidado com a dimensão torna o espaço mais elegante”, arremata Roberto Negrete.

Para harmonizar sofá e tapete

Depois de considerar as sugestões dos profissionais para a escolha de sofás e tapetes nas páginas anteriores, veja o que eles propõem para a composição das duas peças. O mais importante é que a combinação traga o efeito estético e o conforto pretendido ao ambiente. “No caso de ambientes muito neutros, um tapete com um tom marcante dá vida ao espaço. Mesmo assim, as cores devem se complementar com as das peças existentes”, sugere a arquiteta paulista Priscila Baliú. “Muitas lojas especializadas têm um serviço que leva os tapetes pré-selecionados ao local para demonstração, o que facilita a escolha do cliente. Eu indico esse procedimento para acertar os tons e o tamanho”, complementa. Já o arquiteto Flávio Butti recomenda pensar muito bem nas cores. “O sofá e o tapete fazem parte de um conjunto que deve conversar com o restante do ambiente. Não precisa ser tudo combinado. Entretanto, não dá para deixar a harmonia de lado. Uma boa pista é pensar em termos de roupa. Pergunte: ‘Eu vestiria essas cores juntas?’ Se o sofá for de tom neutro, mas pontuado de cor nas almofadas e mantas, a sugestão é optar por um tapete contrastante, que dê personalidade ao conjunto. “Quem gosta de andar descalço sobre o tapete pode optar por um modelo com textura, mas, nesse caso, com a cor similar à do sofá”, propõe a designer de interiores Carla Yasuda. “Dessa forma, os elementos se fundem, brincando com o espaço, quase como se o piso se elevasse, formando lugares para sentar ou deitar.”

* LARGURA X PROFUNDIDADE X ALTURA.

  • Voltar ao início

    Compartilhe essa matéria:

Reportagem Visual Edson G. Medeiros Texto Silvia Avanzi Fotos Luis Gomes