Apartamentos pequenos, mas sem aperto

Morar bem, sem aperto: três apartamentos pequenos que foram reformados para uma moça solteira, um casal e uma família.

Reportagem Visual: Zizi Carderari Texto: Silvia Gomez Fotos: Evelyn Müller Ilustrações: Carlos Campoy

Não é só uma impressão: os apartamentos perderam preciosos metros ao longo das últimas décadas. “A alta do preço do terreno resulta em empreendimentos com mais – e menores – unidades”, analisa Luiz Paulo Pompéia, diretor da Empresa Brasileira de Estudos de Patrimônio (Embraesp). “Nos perfis de dois e três quartos, alguns chegam a ter entre 40 e 50 m²”, exemplifica Fábio Abreu, pesquisador do Nomads (Núcleo de Estudos de Habitares Interativos da Universidade de São Paulo). “Já os de quatro quartos perderam em média 30 m² desde o ano 2000. Hoje encontramos modelos com até 90 m².” Os ambientes mais afetados foram o quarto, o banheiro e a cozinha. Por isso, a necessidade de repensar os espaços. É o que você vai perceber nos três apartamentos abaixo, reformados para uma moça solteira, um casal e uma família.Conheça outros 10 truques para fazer o espaço render em apartamentos pequenos.

Divulgação

Um título para uma foto sem titulo

Apartamento de 38 m² para moça solteira O apartamento de 38 m² ficou na medida para Rita, que mora sozinha. Na reforma, orquestrada pela arquiteta Cristina Bozian, um painel substituiu uma parede e a opção pelo acabamento único favoreceu o espaço. Conheça todos os detalhes da obra realizada neste minúsculo apartamento.

Divulgação

Um título para uma foto sem titulo

Apartamento de 45 m² para casal

Os limites entre sala, cozinha e quarto se confundem neste pequeno apartamento, cuja reforma suprimiu paredes e recriou ambientes para o dia a dia do arquiteto Rodrigo Angulo e de sua esposa, Claudia. Saiba como este apartamento ficou perfeito para o casal.

Divulgação

Um título para uma foto sem titulo

Apartamento de 97 m² para família A reforma deste apartamento colocou paredes abaixo para integrar os ambientes, estimulando a convivência do casal com os filhos adolescentes. A decoradora Maristela Gorayeb conta como fez o espaço render.

Divulgação
A opção por um sofá sem braço foi estratégica. “A sensação visual é ...
A opção por um sofá sem braço foi estratégica. “A sensação visual é de que ele continua. Essa percepção é bem-vinda numa sala estreita”, explica a arquiteta Cristina Bozian. Multiúso, as banquetas coloridas atuam como mesinha lateral. Repare na cortina: um xale de voal desce sobre o rolô de bambu. “Sozinho, o rolô recortaria visualmente o pé-direito. Como vai até o piso, a cortina equilibra o conjunto e parece alongar a parede.” Na área de jantar, mesa da Tok & Stok, poltronas da Casablu e luminária da Bertolucci. Cortina e rolô de bambu da Treuni. O banco estampado e os rolinhos no sofá são da Villa Nova. Passadeira da Grado.
.
Fechar

Curta o CASA.COM.BR no Facebook